A ver passar os comboios na Estação da Malveira [Vídeo]

A estação da Malveira fica situada no troço entre Agualva-Cacém e Torres Vedras.

A 20 de junho de 1883 foi “(…) approvando a parte do projeecto do caminho de ferro de Lisboa a Cintra e Torres Vedras, comprehendida entre Alcantara e Malveira e o Moinho Velho a Cintra (…)”, tendo o troço sido aberto à exploração em 21 de Maio de 1887, pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses.

Em 1913, existiam carreiras de diligências entre a estação de Malveira e as povoações de Vila Franca do Rosário, Gradil, Barras, Turcifal, Freixoeira e Carrascal.

Chegados à modernidade e depois de muita tinta corrida, o projeto de modernização da linha do oeste que a Infraestruturas de Portugal anunciou a 30 de março traduz-se numa “empreitada para a Modernização do troço da Linha do Oeste, entre Mira Sintra-Meleças e Torres Vedras, foi adjudicada pelo valor de 61,5 milhões de euros, no âmbito do Programa Ferrovia 2020”. O contrato foi depois encaminhado para o Tribunal de Contas para obtenção de Visto Prévio. A Infraestruturas de Portugal referiu à data que “após esse parecer proceder-se-á à consignação da empreitada e iniciar-se-ão os trabalhos no terreno”. Aguardemos, pois, mas sentados, de preferência.

Para a estação da Malveira (km38+367) o projeto prevê:

  • uma PNp ao km38+425;
  • a demolição parcial da pala da cobertura do alpendre em frente ao Edifício de Passageiros por incompatibilidade com a eletrificação da linha ferroviária;
  • a criação de um desvio ativo, com cerca de 6 quilómetros, entre a estação da Malveira e o quilómetro 44,3 (a sul do Túnel da Sapataria);
  • a construção de duas passagens desniveladas nas imediações de estação.

Por seu lado, o Programa Estratégico de Reabilitação Urbana da Área de Reabilitação Urbana da Malveira e Venda do Pinheiro, datado de maio de 2019, prevê a criação de “interligações entre a o largo da feira e a antiga estação de comboio, através de passeio pedonal; a requalificação e adequação de uso da Estação de Comboio da Malveira, atraindo novos utilizadores, nomeadamente com a criação de “museu vivo”, centro de exposições“.

Veremos se também aqui teremos de esperar sentados. Certo é, que as obras de requalificação do Largo da Feira da Malveira, que segundo palavras do Presidente da Câmara de Mafra, proferidas ao microfone de um seu apoiante, colaborador de um órgão de comunicação social a funcionar num edifício municipal, deviam ter começado esta semana, ainda não se encontram no terreno. O senhor presidente referia-se, provavelmente, ao facto de terem começado a tratar das burocracias relacionadas com a obra. Certo, mesmo, é esta obra ficar concluída antes das eleições autárquicas de 2021.

O JM passou esta tarde pela estação da Malveira e deixa-lhe aqui este pequeno vídeo que poderíamos, com toda a propriedade, denominar “A ver passar os comboios”:

 

   

Leia também