COVID-19 | José Graça Presidente da Comissão Política de Mafra do PS – Um olhar político sobre a pandemia

José Graça

José Graça é Presidente da Comissão Política de Mafra do Partido Socialista

 

  • Como é que avalia a atuação das autoridades locais no ataque à atual pandemia por covid-19?

Numa primeira fase a gravidade da situação foi menosprezada pelo executivo PSD, isto numa altura em que já surgiram alertas das autoridades de saúde.

Quando foi notório a progressão da Covid-19 a Câmara desenvolveu esforços para travar a progressão do vírus, no âmbito das ações tomadas em deliberação conjunta na AML. O PS/Mafra, desde a primeira hora, que apoiou e está ao lado da autarquia em todas as medidas que a autarquia deliberou tomar para o combate a este vírus silencioso e mortal.

Atualmente julgamos ser necessário um maior esforço, uma nova distribuição de máscaras, não só pelos munícipes, mas também pelas IPSS do Concelho. Apertar a fiscalização e lançar uma campanha de sensibilização para a importância das medidas de proteção.

  • Que outras medidas tomaria se fosse poder no concelho de Mafra?

Em termos de equipamentos de proteção individual a distribuição pela população deve ser feita com maior regularidade e adequada às circunstâncias. Torna-se irrelevante e até anedótico a oferta inicial de 8 máscaras individuais, por residência, no mês de março, quando – infelizmente – este surto pandémico já ultrapassa a barreira dos 120 dias. 8 máscaras para 2 pessoas, dão para 4 dias. E os restantes 116 dias, sem qualquer reação municipal?

Colocação de pontos de venda automáticos de máscaras na vilas e aldeias do concelho (principalmente nos pontos de tomadas e largadas de passageiros, de maior circulação);

Colocação de passadeiras desinfetantes dos pés (calçado) e medição de temperatura corporal, à entrada do Real Edifício de Mafra (Palácio, Basílica, Convento), Património Mundial da UNESCO, bem assim como, noutros pontos de interesse turístico e visitação;

Reforço da fiscalização, utilização e reforço de efetivos com recurso aos meios humanos da Polícia Municipal de Mafra;

Articulação de iniciativas com as corporações de Bombeiros do Concelho;

Colocação de pontos de venda automáticos de máscaras nas vilas e aldeias do concelho (principalmente nas tomadas e largadas de passageiros de maior circulação);

Campanhas de informação regulares; envolvência da comunidade Associativa e da economia social nas iniciativas de divulgação e de intervenção contra a Covid-19.

  • Como é que olha para o futuro pós-covid, em termos da repercussão que os novos hábitos/atitudes/medos possam ter na atividade política e na expressão económica, social e cultural?

A “nova realidade” veio para ficar, goste-se ou não, há procedimentos que irão ser alterados e novas metodologias a aplicar. Uma delas tem a ver com uma maior consciência cívica, individual e coletiva. Outras serão a manutenção de equipes de saúde pública no terreno, mais próximas das comunidades, com uma monitorização dos recursos sem disponíveis.
O impacto social e económico – é expetável – vir a  ser significativo, principalmente devido ao –  ainda – elevado vínculo laboral precário, baixos salários e um tecido empresarial em muito sustentado no mercado interno e no turismo.

É urgente um plano estratégico para o Concelho que englobe o tecido empresarial, cultural e social.

Só em conjunto, em diálogo franco e aberto, será possível ultrapassarmos as presentes contrariedades.

A autarquia não pode continuar de braços cruzados perante o “tsunami económico” que se avizinha, quer determinado pelo contexto interno quer pelos impactos que esta pandemia está a produzir internacionalmente, e que a todos afetará.


Nota do diretor

Nesta fase que é já (ainda) de desconfinamento, o Jornal de Mafra pediu aos principais lideres políticos do concelho de Mafra, que a partir de 3 perguntas, iguais para todos, lançassem um olhar político sobre a pandemia que assola o concelho, o país e o mundo.

PS, PAN, CDU, CDS-PP e Aliança responderam às questões que colocámos. Não contactámos o BE, uma vez que esta força política não tem estado ativa no concelho. Com o PSD, não foi possível entrar em contacto, uma vez que aquele partido não dispõe de um contacto telefónico público e que nem o endereço de email da sede concelhia (info@psd-mafra.com), nem o endereço da concelhia de Mafra registado na página nacional do PSD (geral@psdmafra.com) se encontram ativos.

Ainda no quadro que estamos a descrever, o Jornal de Mafra pediu uma entrevista a Elísio Varandas, médico de saúde familiar no concelho de Mafra e único Presidente de Junta por um partido da oposição, entrevista que foi concedida e que contamos publicar ainda esta semana.

Pedimos ainda uma entrevista a Hélder Silva, Presidente do Conselho Municipal de Segurança de Mafra e Presidente eleito da Câmara Municipal de Mafra, entrevista exclusivamente dedicada a temas covid-19, pedido em relação ao qual não obtivemos, como vem sendo habitual, qualquer resposta.


O Jornal de Mafra e a DGS Aconselham


Mantenha-se protegido
Cuide de si, cuide de todos!


Leia também