Previsão aponta que partir do próximo dia 1 de julho o país passe para o estado de contingência

O concelho de ministros decidiu hoje prorrogar a declaração de situação de calamidade até às 23h59 do próximo dia 28 de junho.

Até ao final do mês irão vigorar em todo o território nacional, as regras atualmente em vigor, isto por estarmos num período em que decorrem os festejos dos Santos Populares, os vários feriados que se assinalam este mês e o facto de no próximo dia 15 de junho reabrirem as fronteiras aéreas aos países europeus.

A partir de 2ª feira, 15 de junho, a Área Metropolitana de Lisboa vê levantadas as limitações especiais que tinham sido impostas a esta região nesta última quinzena. Assim, passam a ser permitas as concentrações até 20 pessoas; os estabelecimentos com área superior a 400m2 ou inseridos em centros comerciais e as respetivas áreas de consumo de comidas e bebidas podem reabrir.

A nível nacional reabrem os parques aquáticos e as escolas de línguas e centros de explicações

É alargada a todo o território a regra da limitação a dois terços dos ocupantes na ocupação dos veículos particulares com lotação superior a cinco lugares, salvo se todos os ocupantes integrarem o mesmo agregado familiar.

Os estabelecimentos não podem abrir antes das 10 horas, à exceção dos ginásios e academias e em outras situações já previstas anteriormente.

Contudo, mantém-se “a necessidade de se observar regras de ocupação, permanência e distanciamento físico, bem como regras de higiene e, ainda, de manter em vigor medidas excecionais e específicas quanto a atividades relativas aos estabelecimentos de comércio a retalho, de prestação de serviços, estabelecimentos de restauração e ao acesso a serviços e edifícios públicos”.

O Governo revelou hoje que é sua intenção alterar o estado de calamidade para o estado de contingência, a partir do próximo dia 1 de julho em algumas regiões, sendo que nessa altura, o Algarve e o Alentejo poderão passar para o estado de alerta.

   

Leia também