Torres Vedras | Balanço da ativação do Plano Municipal de Emergência

Faz hoje 2 meses que foi ativado, em Torres Vedras, o plano municipal de emergência, e hoje o presidente da Câmara, Carlos Bernardes, fez o balanço destes dois meses.

Os primeiros casos ocorreram no dia 19 de março no concelho de Torres Vedras, a situação epidemiológica teve o seu pico no dia 13 de abril com 30 casos, pico que tem vindo a reduzir-se, até que nos últimos dias se tem registado apenas um caso ativo no concelho. Estando o período de confinamento do único caso ativo no concelho a terminar, Torres Vedras está muito perto de ficar sem casos ativos em todo o seu território.

Carlos Bernardes referiu, no entanto, que ter zero casos nada significa uma vez que “aquilo que é hoje, amanhã poderá eventualmente ser diferente” reforçando que “dado ao estado epidemiológico a nível nacional podemos olhar para o mesmo e perceber que ainda há relativamente pouco tempo concelhos vizinhos tinham números relativamente baixos e por contágios de outros municípios esses números vieram a aumentar” acrescentando que “não podemos baixar a guarda no combate ao covid-19”, não só a nível local, como a nível regional e nacional.

O presidente da câmara fez ainda um resumo das medidas tomadas nestes dois últimos meses.

– O centro de testes à Covid-19 está a funcionar desde 31 de março e já realizou mais de 1 400 testes, 2/3 dos quais a funcionários de instituições de solidariedade.

– Entre as medidas tomadas pelo município encontram-se a instalação de dois hospitais de retaguarda, instalados em pavilhões (Sporting Clube de Torres e externato de Perafime), a utilização do pavilhão da Expotorres para acolhimento de utentes de lares e de outras instituições e a Pousada da Juventude de Santa Cruz, bem como o centro de espiritualidade, todos preparados para servir de alojamento em casos de isolamento profilático. O
hospital de campanha instalado no pavilhão do Sporting Clube de Torres será amanhã desativado, de acordo com recomendações do Delegado de saúde de Torres Vedras.

– A linha de apoio psicossocial a funcionar desde 16 de março recebeu até ao momento mais de 1 000 chamadas.

– O acompanhamento dos utentes do desporto sénior conta com mais de 5 000 interações, tendo os professores que promovem o desporto sénior criado aulas online, de modo a que os seniores se pudessem manter ativos.

– A rede local de voluntários, em parceria com a delegação da Cruz Vermelha de Torres Vedras, conta com cerca de 150 inscritos.

– Foram preparadas até hoje cerca de 9 000 refeições para alunos carenciados e para os funcionários que estão nos vários centros de saúde do concelho.

– A escola de Santa Cruz e a escola Padre Francisco Soares encontram-se a funcionar para acolher filhos de profissionais na 1ª linha do combate à pandemia.

– A autarquia criou um programa para empréstimo de material informático, de modo a que os alunos possam aceder à escola em casa, tendo sido cedidos mais de 850 computadores (dos quais 250 são novos) e cerca de 500 hotspots de acesso à internet representando um investimento superior a 200 mil euros.

– 50% das 39 medidas que constituem o programa municipal de apoio extraordinário estão a ser implementadas ao dia de hoje.

– A Câmara Municipal, em colaboração com as 13 juntas de freguesia está a distribuir cerca de 60 mil máscaras de proteção (reutilizáveis), máscaras que são produzidas no concelho por centenas de costureiras.

Já no plano do desconfinamento destacam-se as seguintes medidas:

– Com vista ao regresso às aulas, previsto para aproxima 2ª feira, a direção geral dos estabelecimentos escolares e as forças armadas celebraram um protocolo para a realização de uma ação de sensibilização com vista à desinfeção das escolas secundarias Madeira Torres e Henriques Nogueira.

–  Foram hoje realizados pela Câmara municipal, em articulação com o Aces Oeste Sul e a Segurança Social, 278 testes nas 20 creches do concelho.

– Reabriram ontem os serviços municipais do edifício multisserviços, dos SMAS, da Agência Investir, da biblioteca, da Promotores e do Balcão da Mobilidade. Estes serviços estão a funcionar apenas no horário da manhã, possibilitando que 50% dos trabalhadores funcionam por “turnos” rotativos de 2 em 2 semanas.

– No que se refere à próxima época balnear, a autarquia tem vindo a trabalhar com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), com a autoridade marítima (AM) e com a Associação Bandeira Azul na preparação da época balnear que já se avizinha.

Leia também