Polícia Judiciária identificou jovem que invadiu as aulas virtuais da semana passada

Na semana passada as aulas “online” de várias escolas do país foram invadidas perturbando o normal funcionamento das mesmas.

Essa invasão foi comunicada rapidamente pelo Ministério da Educação o que permitiu à Polícia Judiciária (PJ) “identificar e localizar o autor de tais factos”.

Trata-se de um “homem de 20 anos de idade” que “não fazia parte das turmas, cujas aulas foram interrompidas” e que usou “credenciais de acesso a salas de aulas on-line” com o “único propósito de perturbar o seu normal funcionamento”.

As aulas eram transmitidas no Youtube e ridicularizavam professores e alunos.

O homem assumiu “que o seu comportamento foi indevido” tendo disponibilizou-se “a apagar todos aqueles conteúdos que foram publicitados na Internet” e “por livre iniciativa” procedeu à “eliminação de todas as suas contas em redes sociais, que estiveram na base desta atividade ilícita e pelas quais poderá vir a ser responsabilizado penal e civilmente”.

   

Leia também