CTT antecipam emissão de vales e alargam prazo de pagamento das pensões

A pensar segurança e bem-estar dos 370 mil pensionistas que recebem mensalmente as suas pensões através de vales, vales que vão estar a pagamento nos próximos dias, os CTT vão implementar uma série de medidas mitigadoras de contágio da pandemia CoViD-19.

Uma das medidas é a antecipação da “emissão e pagamento dos vales em dois dias úteis e fasear a distribuição, durante oito dias, de modo a minimizar o risco de afluência aos locais de pagamento e de contágio. Os vales serão emitidos no dia 1 de abril e serão distribuídos até 9 de abril”.

As lojas CTT tem estado a funcionar apenas no período da manhã, mas durante o período de entrega dos vales, 34 lojas terão “horários alargados, a funcionar das 9h00 às 13h30 e das 14h30 às 17h30, para fazer face à afluência”.

Será ainda assegurado que durante o período do pagamento das pensões, cada município tenha um Ponto de Contacto com as populações (Loja ou Posto de Correio).

A empresa irá reforçar o serviço de pagamento de Vales ao Domicílio pelo carteiro, de modo a que cerca de 100 mil evitem sair do seu domicílio. “O serviço será disponibilizado gratuitamente, assumindo os CTT integralmente este custo, nas zonas do País onde têm uma maior capacidade operacional para realizar a entrega em casa”.

Os vales têm a validade de um mês, pelo que “os pensionistas que não necessitem poderão não efetuar o levantamento nos primeiros dias. Além disso, os pensionistas em caso de necessidade, podem pedir através da linha CTT a substituição do respetivo vale, por um novo período de 30 dias, fazendo a troca do mesmo numa loja CTT”.

A empresa lembra que os vales são um meio de pagamento endossável, o que permite que “com a assinatura do pensionista no verso do vale e fazendo-se acompanhar do documento de identificação do pensionista e da sua própria identificação é possível que um terceiro (familiar, cuidador, amigo) possa efetuar o levantamento do vale”. Deste modo o vale pode “ser depositados na conta do próprio ou em conta de terceiros, sendo possível estes disponibilizarem as verbas aos pensionistas, mesmo que para isso tenham de aguardar a liquidez em conta, evitando a saída de casa destes cidadãos“.

Leia também