Torres Vedras | Câmara Municipal e Centro Hospitalar do Oeste assinaram o protocolo de cooperação

Ontem, ao final da tarde, a Câmara Municipal de Torres Vedras e o Centro Hospitalar do Oeste assinaram um protocolo de cooperação que visa melhorar e reforçar os serviços de saúde prestados na Unidade de Torres Vedras do CHO e que permitirá, seguindo a letra do mesmo,  implementar “soluções duradouras de correção, melhoria e diferenciação da prestação de serviços de saúde”.

O documento foi assinado por Carlos Bernardes, presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras e por Elsa Baião, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Oeste, tendo sido homologado pelo secretário de Estado da Saúde, António Sales.

São 17 as medidas que constam deste protocolo, medidas que obrigam a Unidade de Torres Vedras do CHO, o CHO, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, o Ministério da Saúde e o Município.

Para Elsa Baião este protocolo significa “um investimento do Município com o intuito de devolver as melhores condições à infraestrutura, apostando no incremento das condições de trabalho para os profissionais e nas condições de atendimento para os utentes”, o que “permitirá contribuir para a melhoria das condições de salubridade, comodidade e conforto destas instalações”.

Dirigindo-se ao secretário de Estado da Saúde, Carlos Bernardes referiu que “não foi fácil chegar ao dia de hoje”. O Autarca destacou as melhorias planeadas para infraestruturas e equipamentos, recursos humanos e a transição para o futuro Hospital do Oeste, medidas que segundo o autarca, irão “dignificar os profissionais” e “melhorar os equipamentos”.

Para António Sales, este protocolo “é um exemplo paradigmático do caminho que devemos prosseguir no sentido da descentralização das competências do Estado Central para as câmaras municipais”, destacando a “ação proativa de quem conhece a realidade local, a história e as suas gentes”. O secretário de Estado referiu ainda, que “o Governo tem consciência dos constrangimentos que a Unidade de Torres Vedras vive e viveu”, destacando que a Câmara Municipal de Torres Vedras “quis dar um sinal claro, firme, à população de Torres Vedras, que merece uma unidade de saúde mais reforçada e mais capaz de dar resposta às suas necessidades e aos seus anseios”.

 

[Imagem: CMTV]

Artigos Relacionados

Leave a Comment