Viagem pelo património classificado do município de Mafra | Café Arcadas / Posto de Turismo da Ericeira

Viagem pelo património classificado do município de Mafra:
Edifício na Praça da República / Café Arcadas / / Posto de Turismo e Centro de Interpretação da Reserva Mundial de Surf da Ericeira

 

Casa de habitação unifamiliar construída, muito provavelmente, no início do século 19, apresentado ainda as características da casa de habitação pombalina. Assim, a sua planta é retangular, simples, com dois pisos, existindo um escalonamento entre o primeiro, mais largo, e o segundo. As fachadas denotam uma grande sobriedade e bom desenho, são rebocadas e pintadas de branco, percorridas por soco saliente, também ele rebocado e pintado a branco, com cornija saliente na qual assenta um beirado simples, são rasgadas num ritmo regular por vãos retilíneos servidos de molduras de cantaria simples. Cobertura em telhado de quatro águas, onde são visíveis duas trapeiras, orientadas para as fachadas norte e sul. Fachada principal orientada a norte, para a praça, de que ocupa o topo sul, animada pelo rasgamento a eixo de uma porta de verga reta, ladeada por duas janelas de peito, sendo os três vãos sobrepujados por três janelas de peito, e, na cobertura, ao centro por uma trapeira. Lateralmente, a poente, a fachada lateral esquerda apresenta um corpo avançado ao nível do primeiro piso, rasgado, por cinco vãos retilíneos, que criavam uma galeria de passagem (hoje fechados), que antecedem as cinco arcadas, formando uma loggia. O segundo piso é rasgado em terraço coberto por alpendre apoiado em colunas toscanas. Interiormente, a casa encontra-se muito descaracterizada, fruto das diversas ocupações / funcionalidades que conheceu, destacando-se apenas os três pares de colunas lisas de mármore rosa de capitéis dóricos, que abrem uma ala central no amplo salão do primeiro piso.

Época Construção: Séc. 19

Materiais: Alvenaria mista, reboco pintado, cantaria de calcário, vidro, telha, mármore e madeira.

Protecção: IM – Interesse Municipal desde 06 março 1996
DOF: Edifício na Praça da República (onde funcionou o Café Arcadas) e na Rua Dr. Eduardo Burnay

Enquadramento: Urbano, destacado, flanqueado. Completamente inserido na malha urbana que lhe é, maioritariamente, posterior. Implanta-se no centro da vila da Ericeira, constituindo o edifício do topo sul da Praça da República, popularmente designada por Jogo da Bola, ocupando um lote com maior profundidade do que largura. Confronta, a poente, com o Café Salvador no topo da Rua Dr. Eduardo Burnay, uma das principais artérias comerciais da vila, a norte com a praça, a nascente com o Sunset Bamboo Bar, na Travessa do Jogo da Bola, sendo, a sul, flanqueado pelo edifício do Surf Café Fluctus.

Propriedade: Pública: municipal

Utilização Inicial: Residencial: casa

Utilização Actual: Comercial e turística: posto de turismo / Cultural e recreativa: centro de interpretação

Descrição Complementar: no centro da área reservada a centro de interpretação (segundo piso) encontra-se uma grande mesa interativa, composta por uma maquete topográfica à escala 1:1000 dos 4 km que englobam a reserva mundial de surf da Ericeira e uma representação do relevo batimétrico desta área, para o que utiliza tecnologias de projeção e vídeo-mapping. A mesa é complementada por sete iPads, cada um com informação sobre uma das ondas icónicas da reserva, a informação é acompanhada por uma galeria de imagens e de vídeos onde vários surfistas descrevem a sua experiência de surfar estas ondas.

 

Cronologia
Séc. 19 – construção do edifício;
1920, década – Manuel Lopes Matias, empresário e agricultor local, abre no edifício a Cervejaria Lopes; para receber esta nova funcionalidade o edifício é alvo de obras;
c. 1930 – o imóvel é arrendado a António Cardoso, professor de instrução primária, recebendo nova campanha de obras que o transforma no Café Bijou-Arcada;
c. 1935 – 1942 – o café encontra-se alugado a Guilherme Miranda, antigo emigrante no Brasil;
1942 – a exploração do café passa a ser feita por Alberto Galrão e Augusto da Silva Morais; durante a II Guerra Mundial realizam-se alguns espetáculos de café-concerto animados pelo senhor Bagulho, pianista e professor primário;
1970 – 1980 – funciona, no piso superior, um salão de jogos;
1980 – no primeiro piso funciona o posto de venda ao público da Cooperativa Abastecedora de Leite UCAL;
1991 – o edifício ameaça ruir parcialmente;
1996, 06 março – é classificado como Valor Concelhio (Decreto n.º 2/96, DR, 1.ª série-B, n.º 56);
1996, 13 maio – é publicada a declaração de retificação a corrigir o nome da rua de D. Eduardo Burnay para Dr. Eduardo Burnay (Declaração de Rectificação n.º 10-E/96, DR, 1.ª série-B, n.º 127);
2000, 20 maio – inauguração da Sede da Junta de Turismo;
2001, 08 setembro – nos termos do n.º 2 do art.º 112.º da Lei n.º 107/2001, publicada no DR, 1.ª série-A, n.º 209, a classificação como VC foi convertida para IM – Interesse Municipal; funciona, no segundo piso, a Galeria de Arte Orlando Morais;
2017, 03 junho – depois de ter recebido obras de requalificação cofinanciadas pela Entidade Regional de Turismo de Lisboa e Vale do Tejo, a autarquia de Mafra inaugura no local o Centro de Interpretação da Reserva Mundial de Surf da Ericeira e Posto de Turismo da Ericeira.

[Fonte: DGPC/ Imagens: JM, DGPC e Ericeira Antiga]

   

Leia também