Torres Vedras | Urgência pediátrica do Hospital de Torres Vedras assegurada até ao final do mês

Hospital Torres Vedras

Na conferência de imprensa de 7 de janeiro, Carlos Bernardes, Presidente da Câmara de Torres Vedras, informou que se realizou no mesmo dia uma reunião que juntou o executivo municipal, o presidente da assembleia municipal, a comissão permanente de saúde e o conselho de administração do CHO, destinada a encontrar uma “Plataforma de entendimento” que fosse uma plataforma solida, robusta para o futuro das urgências e do serviço de pediatria do Hospital de Torres Vedras.

Dessa reunião saiu um leque de medidas que foram ontem apresentadas à tutela, por Carlos Bernardes e pela presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Oeste, Elsa Baião.

Ao fim de cerca de 4 horas de reunião com o secretário de Estado da Saúde, António Sales, com vista a encontrar soluções para a falta de pediatras no Hospital de Torres Vedras, e segundo Carlos Bernardes, “as soluções estão encontradas [sendo que] a partir deste momento podemos garantir a permanência do serviço de pediatria em Torres Vedras, garantindo as urgências da pediatria a funcionar 24 sob 24 horas, durante 365 dias no ano, quer com os profissionais da unidade de Saúde do Hospital de Torres Vedras, quer com prestadores de serviço”. A solução encontrada terá passado por um processo negocial de escalas entre os médicos da unidade e os médicos em prestação de serviço, tendo ficado assegurado o serviço de urgência pediátrica até ao final deste mês.

Outra das soluções que saíram da reunião, passa pelo assumir de medidas por parte do ministério da Saúde, através do secretário de estado, em estreita cooperação com a ARS, assegurando que na 1ª ação concursal do ano, entre março e abril, serão abertas 4 vagas para pediatras destinados ao hospital de Torres Vedras, para que deste modo se possa ter uma “situação mais solida do quadro de pediatras” do Hospital de Torres Vedras.

Questionada sobre se garantia que até a chegada destes 4 profissionais, o serviço de pediatria não voltara a fechar como ocorreu na noite de 3ª feira, Elsa Baião,afirmou “nós nunca podemos garantir totalmente nada porque há sempre imprevistos. À partida a escala deste mês está preenchida, em relação à dos próximos meses temos vários projetos em curso, que nos permitirão cumprir a escala. Eu não seria séria se dissesse que não pode haver um problema, que não pode haver uma pessoa que falta, que fique doente, isso acontece em qualquer escala, em qualquer local do país ou do mundo”.

A minuta do protocolo (que será assinado pela Câmara Municipal, Assembleia Municipal, o CHO e  tutela) articulado entre o CHO e o ministério da Saúde, será levado à reunião extraordinária do executivo camarário, a ocorrer na próxima quarta feira, com vista à sua aprovação, sendo depois levada para discussão à assembleia municipal, de modo a que sejam “encontradas soluções sólidas, robustas conforme foram mencionadas pela Sra. Ministra da Saúde”, afirmou Carlos Bernardes.

A partir de hoje o Hospital de Torres Vedras vai procurar encontrar “uma plataforma que seja sólida, que seja robusta em defesa do serviço nacional de saúde, onde este hospital possa ter mais atratibilidade de profissionais de saúde, onde este hospital possa ter melhores condições nas suas infraestruturas” disse Carlos Bernardes, tendo ainda referido que a Câmara Municipal de Torres Vedras será parceira das soluções, para que as populações servidas por este hospital “possam ter melhores condições nos serviços prestados, ter serviços de excelência na medida em que os profissionais são de excelência, vamos melhorar as instalações e vamos trabalhar para ter também um quadro de serviço mais alargado em alguns domínios”.

Ainda no âmbito da pediatria, o executivo pretende que funcione no Hospital de Torres Vedras uma unidade de internamento pediátrico, unidade que é “essencial no modelo que está a ser construído para que efetivamente as 4 vagas que irão ser abertas possam ser vagas atrativas para os jovens pediatras”.

Estas serão as principais medidas que constam no protocolo que ainda se encontra a ser elaborado, fazendo ainda parte deste protocolo, o lançamento de um concurso público para a remodelação das urgências de Torres Vedras, a reativação da farmácia hospitalar, bem como a criação de uma unidade de cuidados intensivos.

 

Artigos Relacionados