A videovigilância contra incêndios irá chegar aos Parques de Sintra, Cascais, Mafra e Arrábida no final de 2020

[sg_popup id=”24045″ event=”onLoad”][/sg_popup]

A videovigilância contra incêndios irá chegar aos Parques de Sintra, Cascais, Mafra e Arrábida no final de 2020

 

Depois de, no início da semana passada, a Área Metropolitana de Lisboa(AML), ter aberto um concurso público para a aquisição de bens e serviços com vista à “implementação de dois sistemas de videovigilância florestal e apoio à decisão operacional, um no Parque Natural da Arrábida e outro no Parque Natural de Sintra-Cascais e Mafra”, no final da semana aprovou, em reunião do Conselho Metropolitano de Lisboa, as minutas de “contratos e protocolo, necessários para dar seguimento à implementação de Sistemas de Videovigilância Contra Incêndios”.

O Concurso público tem um valor base de 650 000 EUR, valor a ser cofinanciado pelo Fundo de Coesão, pela Área Metropolitana de Lisboa e pelos Municípios de Cascais, Mafra, Palmela, Sesimbra e Sintra. Sendo a data Limite recepção de propostas o dia 2019-12-04.

A AML apresentou já duas candidaturas no âmbito do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), para a implementação destes sistemas de Videovigilância Contra Incêndios, com o objetivo do “desenvolvimento da videovigilância florestal e de aquisição de dados para monitorização de incêndios”.

O projeto contempla a instalação de um número mínimo de 12 torres de videovigilância, um centro de controlo e gestão e um posto de operação, entre outros.

Se tudo se desenrolar da forma esperada e dado que o prazo de execução da obra é de 12 meses, o sistema de videovigilância nos parques naturais de Sintra, Cascais, Mafra e da Arrábida. Deverá entrar em funcionamento no final de 2020.

 

 

Artigos Relacionados