Mafra | Droga… O meu filho? NÃO – Workshop ontem promovido por associações de pais

Mafra | Droga… O meu filho? NÃO – Workshop promovido por associações de pais

 

As associações de pais dos alunos da Secundária José Saramago e do Colégio de Santo André coordenaram um workshop sobre comportamentos aditivos, que teve ontem lugar no auditório da escola José Saramago em Mafra.

Muito participada esta iniciativa, embora estivessem presentes muitos professores da secundária, do Colégio de Santo André, e de escolas da Malveira e Venda do Pinheiro, e poucos pais – sobretudo se tivermos em consideração o universo esta iniciativa – que irá continuar abordando outras temáticas.

As drogas continuam, infelizmente, a representar uma realidade muito presente no dia a dia das escolas e das famílias, sendo este um tema que nunca perde atualidade.

Particularmente interessantes e elucidativas, as intervenções de Rodrigo Marques, médico interno de saúde pública, que apresentou a perspetiva deste problema, do lado da saúde pública, a partir de um inquérito, cuja principal bondade passou por permitir abordar o tema a partir das informações (embora com alguma falta de validação estatística e sociológica, pareceu-nos) colhidas junto de alunos de várias escolas da área oeste.  Rodrigo Marques foi esclarecedor e manteve o interessada assistência.

Por seu lado, Guida Manuel, Psicóloga Clínica, mostro também grande capacidade técnica e muita experiência de comunicação, abordando o tema do lado da psicologia, tendo sido muito minuciosa, muito abrangente e tecnicamente muito segura.

Excelente iniciativa, por várias razões. Congregou duas estruturas diferentes, as duas associações de pais, sabendo todos nós como é difícil em Portugal ultrapassar o espírito que nos divide em capelinhas. Proporcionou uma visão moderna e arejada de um tema que continua (e continuará) a constituir uma grande preocupação das famílias portuguesas. Finalmente, este poderá ser um ponto de partida para outras colaborações, e para alargar temas em debate, permitindo contribuir para um maior entrosamento entre a escola e a comunidade, algo que se mostra muito necessário em Mafra, onde algumas direções das escolas parecem, por vezes, demasiado “viciadas” nos mesmos esquemas comunicacionais.

Faltou, talvez, dispor de números relativos ao concelho. Nota mais para esta iniciativa.

 

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados