Torres Vedras | Apoia a arborização e rearborização de 125 hectares do Concelho

Torres Vedras | Apoia a arborização e rearborização de 125 hectares do Concelho

 

Cerca de 41% da área total do concelho de Torres Vedras é constituída por espaços florestais (florestas e matos), pelo que o município aprovou recentemente o programa “Floresta nas Linhas 20.30” que visa “a plantação de cerca de 67 mil árvores e arbustos de espécies autóctones ao longo dos próximos cinco anos, apresentando um custo anual máximo de 20.000 euros”.
O projeto irá decorrer ao longo dos próximos 5 anos e “espera apoiar a instalação de 100 hectares de novos povoamentos e a beneficiação de 25 hectares de povoamentos de espécies autóctones existentes”.

A autarquia pretende com este projeto “estimular a reconversão de povoamentos florestais mal-adaptados e a arborização de terrenos incultos com espécies autóctones. Pretende-se, ainda, apoiar a beneficiação de povoamentos de regeneração natural, contribuindo para o aumento da biodiversidade, a resiliência e a mitigação das alterações climáticas, com destaque para o aumento da capacidade de armazenamento de carbono no território”.

O apoio técnico para elaboração do plano de gestão e licenciamento das arborizações e rearborizações e o fornecimento de árvores e arbustos, tais como, pinheiro manso, sobreiro, carvalho-cerquinho, freixo, alfarrobeira, azinheira, zimbro, medronheiro e oliveira estão contempladas no “Floresta nas Linhas 20.30”. 11 hectares de terrenos municipais sob gestão da Câmara Municipal que se encontram distribuídos por 5 zonas diferentes do concelho que atualmente têm povoamentos de eucalipto e que serão, desta forma, reconvertidos em áreas de floresta autóctone.

O programa “irá premiar os participantes que mantenham as suas plantações em bom estado” pelo que os interessados deverão apresentar a sua candidatura (sujeita a aprovação) à qual poderá ser atribuído “um apoio ao longo dos primeiros anos de plantação que se divide entre 100 euros por hectar, nos primeiros três anos, e 75 euros por hectar, nos dois anos que se seguem. No que toca à beneficiação de povoamentos de espécies autóctones existentes, o apoio a atribuir será de 200 euros por hectar, nos primeiros três anos, e 150 euros por hectar, nos dois anos que se seguem”.

 

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados