Interdição da apanha e captura de bivalves

[sg_popup id=”24045″ event=”onLoad”][/sg_popup]

Interdição da apanha e captura de bivalves

 

Comunicado: Apanha e captura de moluscos bivalves – Zonas interditas

Interdição da apanha e comercialização de bivalves, equinodermes, tunicados e gastrópodes marinhos em Portugal e/ou zonas reclassificadas temporariamente devido à presença de toxinas/outros motivos

Data de atualização: 2019-08-30
L5a Litoral Peniche – Cabo Raso

Lapa- Interdita
Fitoplâncton Produtor de: biotoxinas amnésicas;
Biotoxinas: lipofílicas (provocam DSP)
Contaminantes Químicos: Cádmio
Estatuto Sanitário: Na

Mexilhão – Interdita
Biotoxinas: lipofílicas (provocam DSP)
Estatuto Sanitário: B

Ouriço-do-mar – Interdita
Fitoplâncton Produtor de: biotoxinas amnésicas;
Biotoxinas: lipofílicas (provocam DSP)

Estatuto Sanitário: A*

 

 

Consulte (aqui) todas as interdições.

 

Observações:
− DSP – Intoxicação humana por biotoxinas diarreicas
− NA – Não Aplicável. Segundo o Regulamento (UE) N.o 558/2010, os gastrópodes marinhos não filtradores (exemplo: lapas), estão excluídos das disposições relaࢢvas à classificação de zonas de produção estabelecidas no capítulo II da seção VII do anexo III do Regulamento (CE) N.o 853/2004.

Níveis de Alerta de Microbiologia (MICRO):
Classe B: >4600 e <=46000 E. coli (NMP/100 g)
Classe A >230 e <= 700 E. coli (NMP/100 g)

* – ”Classificações provisórias”. Correspondem a classificações baseadas num número limitado de amostras.

 

Artigos Relacionados