Residências nos centros históricos classificados pela UNESCO ficam isentas de IMI

[sg_popup id=”24045″ event=”onLoad”][/sg_popup]

Residências nos centros históricos classificados pela UNESCO ficam isentas de IMI

 

Segundo informação veiculada pelo Jornal de Notícias, os habitantes que possuem residências nos centros históricos classificados pela UNESCO, deixarão de pagar IMI.

Segundo aquele jornal, o governo terá informado desta decisão, todas as repartições de finanças. Sendo que, os proprietários terão de confirmar que habitam de facto nessas zonas, devendo ainda obter uma declaração da Direção Regional da Cultura que deverá ser entregue nas respetivas repartições de Finanças.

No entanto, só foi possível obter referencia a prédios situados em centros históricos do Porto, Guimarães, Évora, Sintra, Angra do Heroísmo, Óbidos e Elvas, centros históricos situados em Portugal, que foram, enquanto tais, considerados Património Mundial pela UNESCO.

 

Artigos Relacionados