Crónica de Psicologia por Filipa Marques | Férias sãs, cabeça sã

Crónica de Psicologia por Filipa Marques


Férias sãs, cabeça sã

 

Entra o primeiro dia do mês de Julho e já pensamos em praia, descanso e bom tempo. Em churrascos com a família, tempo bem passado na rua e em restabelecer energias.

Pensemos nas férias como um momento de lazer. Qual o papel do lazer na saúde psicológica?

As férias são a altura primordial para abrandar o ritmo agitado de vida que (quase) todos nós hoje em dia levamos. São o momento privilegiado para desligar das preocupações e atividades que nos cansam física e psicologicamente durante todo o ano. São momentos chave de lazer, que podem servir vários fins: reforçar laços afetivos ao estar mais tempo com a família e com os amigos, fazer atividades que nos dão satisfação, por exemplo pescar ou ler, ou até mesmo para nos permitirmos simplesmente descansar.

Há estudos que indicam a existência de uma associação positiva entre a realização de atividades de lazer e uma melhor saúde mental e qualidade de vida. Ou seja, as atividades de lazer aumentam a nossa sensação de que a vida tem, verdadeiramente, qualidade.

Por este motivo quero fazer um alerta para a importância das férias! Mais ainda, um alerta para que as nossas férias sejam bem vividas, com a consciência que são um momento chave para a nossa saúde física e psicológica. Agora, com esta informação, podemos pensar: o que posso fazer para viver bem as minhas férias? Deixo algumas dicas:

    1. Desligar do trabalho. Sei que não é fácil, principalmente quando temos negócios ou prestamos serviços e, inevitavelmente, o telefone toca porque precisam das nossas orientações ou da nossa presença. Porque não transmitirmos às pessoas anteriormente que vamos de férias? Assim, já saberão e poderão respeitar o nosso descanso.
    2. Parar e acalmar. Andamos num ritmo agitado e, de repente, já não temos a nossa rotina diária. Permitamo-nos parar uma manhã ou um dia inteiro para nos irmos habituando a ter uma maior tranquilidade interior.
    3. “Entrar no espírito”. É importante “entrar no espírito” e “não nos aborrecermos” com os imprevistos que possam acontecer. Planeámos limpar hoje a casa, mas apareceu uma visita e não conseguimos? Não nos preocupemos, certamente amanhã conseguiremos limpar. Entrámos de férias mas o tempo está desagradável? Excelente! Vamos usar esse tempo para fazer tarefas caseiras que nos dão especial gosto.
    4. Planear com moderação! Muitas vezes temos demasiados planos para o nosso pequeno tempo de férias. Porque é que não experimentamos determinar apenas uma ou duas tarefas e/ou atividades que queremos fazer? Assim iremos conseguir aproveitar melhor cada atividade e ainda nos sobrará tempo para desfrutar.

Com estas ideias bem frescas, aproveitemos o nosso descanso e lazer com a seriedade e simultânea leveza que as nossas férias merecem!

 


Pode ler (aqui) todos os artigos de Filipa Marques.

Filipa Marques Psicologia


 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados