Mais um Passo dado para a modernização da Linha Ferroviária do Oeste

Mais um Passo dado para a modernização da Linha Ferroviária do Oeste

A modernização da Linha Ferroviária do Oeste é aguardada há anos estando as obras, que constam do no plano Ferrovia 2020, orçadas em 112 milhões de euros . A obra será executada, sem interrupção do serviço ferroviário, em duas empreitadas, Mira Sintra-Meleças/Torres Vedras e Torres Vedras/Caldas da Rainha.

Foi ontem publicada a Portaria que autoriza a Infraestruturas de Portugal, S. A., a “proceder à repartição de encargos relativos ao contrato de conceção-execução da subestação de tração de Runa, postos autotransformadores e de zona neutra no troço Mira-Sintra-Meleças-Caldas da Rainha, da linha do Oeste”. A Infraestruturas de Portugal, S. A., fica assim em condições de lançar o concurso publico, o que deverá acontecer ainda este mês, para a empreitada referente ao troço entre as estações de Mira Sintra/Meleças (Sintra) e Torres Vedras.

O prazo de execução das obras abrangerá os anos de 2019 a 2022 e o valor base será de 5 800 000 €.

Fica a Infraestruturas de Portugal, S. A., autorizada a proceder à repartição de encargos relativos ao contrato de conceção-execução da subestação de tração de Runa, postos autotransformadores e de zona neutra no troço Mira-Sintra-Meleças-Caldas da Rainha, da linha do Oeste, até ao montante global de (euro) 5 800 000, na condição de ter financiamento europeu com candidatura aprovada e financiamento máximo nacional de (euro) 2 450 000

Os encargos orçamentais decorrentes serão repartidos da seguinte forma:
Em 2019: (euro) 156 600 €
Em 2020: (euro) 2 215 600 €
Em 2021: (euro) 3 277 000 €
Em 2022: (euro) 150 800 €

As principais intervenções previstas no Projecto de Modernização da Linha do Oeste, ao longo de 87,5 Km, entre Mira-Sintra/Meleças e Caldas da Rainha, são a eletrificação da linha, a duplicação em dois troços específicos, a retificação de algumas curvas e a criação de variantes ao traçado atual, de modo a permitir maiores velocidades de circulação.

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados