Torres Vedras | Centro Hospitalar do Oeste com novas camas articuladas elétricas

Arranca em junho a Unidade de Hospitalização Domiciliária (UHD) no Centro Hospitalar do Oeste (CHO) com 10 camas, 5 na área de influência do hospital de Torres Vedras e 5 na área do Hospital das Caldas da Rainha.

Em abril, na apresentação desta nova Unidade do CHO, a presidente do Conselho de Administração, Elsa Baião, referiu que esta será uma “alternativa ao internamento convencional, ou seja, os doentes numa fase aguda da sua doença ao invés de ficarem internados no hospital, podem optar, de acordo com critérios específicos, por ficarem internados no domicílio” contribuindo para “dar mais conforto a estes doentes, libertar camas hospitalares e reduzir o risco de complicações para estes doentes, como as infeções hospitalares.”

O raio de ação máximo deste serviço é de 30 quilómetros, ou 30 minutos de distância, relativamente a cada um dos hospitais.

A previsão do CHO é de que “com uma lotação de 5 camas de internamento, com tempo médio de 10 dias, estima-se que serão tratados 107 doentes até ao final do ano”.

Com o início da UHD a aproximar-se, a Caixa Agrícola de Torres Vedras ofereceu esta semana ao Centro Hospitalar do Oeste uma viatura e doze camas articuladas elétricas.

A viatura irá “viabilizar as visitas da equipa da UHD aos doentes internados no domicílio”. O conjunto de doze camas  articuladas elétricas  foram oferecidas ao Serviço de Medicina B da Unidade de Torres Vedras. Estas camas irão “permitir uma maior comodidade e segurança dos Utentes” uma vez que serão “mais adequadas às suas necessidades terapêuticas durante o processo de recuperação no internamento” e que “irão agilizar o trabalho dos profissionais com maior eficácia, celeridade e segurança”.

O Serviço de Medicina B da Unidade de Torres Vedras conta com uma lotação de 27 camas que  são “manuais, de difícil manuseamento e deterioradas”, com esta oferta, 12 delas serão agora substituídas.

[Imagem: CHO]
Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados