OPINIÃO POLÍTICA | José Martinez – Em Mafra o 25 de Abril também é comemorado

Em Mafra o 25 de Abril também é comemorado

 

É com profundo pesar que, como autarca, mais uma vez, a autarquia para que fui eleito, “orgulhosamente só”, entre as 18 Câmaras e Assembleias Municipais da Área Metropolitana de Lisboa, não tenha promovido qualquer acto evocativo da efeméride que foi o ponto de partida para a liberdade e democracia em que temos vivido nos últimos 45 anos.

Foi no dia 27 de Abril que democratas de Mafra, uns mais satisfeitos com o que tem sido feito com à Liberdade e Democracia alcançada, outros reclamando aprofundamentos só possíveis com alguma mudança de rumo, se juntaram, na Casa do Povo de Mafra, em almoço comemorativo da data em que os fascistas que emergiram do golpe militar do 28 de Maio de 1926, foram derrotados.

As conversas foram animadas, tendo, findo o repasto, dada a palavra à candidata da CDU ao Parlamento Europeu, Isabel Camarinha, que nos quis honrar com a sua presença, que, partindo da efeméride, fez sucinta exposição das linhas de força que nortearão a intervenção dos deputados CDU no Parlamento Europeu, começando por, numa frase, sintetizar os grandes objectivos – Reforçar a CDU, Defender os trabalhadores, o povo e o País. Lutar por uma outra Europa. Por um Portugal soberano, desenvolvido e de progresso social. 

Explicitando depois a necessidade de consolidar e aprofundar os avanços resultantes da libertação de algumas das imposições do Pacto de Agressão, gizado pela actual União Europeia e Banco Central Europeu, posto em prática pelos submissos PSD/CDS, só possível com uma política alternativa que ponha fim ao marasmo provocado por mais de 30 anos de União Europeia e 20 anos de Euro.

A solução política do governo do PS, que, por proposta do PCP, com o apoio parlamentar dos partidos à sua esquerda, tornou possível a recuperação de rendimentos e direitos do povo trabalhador, só não foi mais longe pela convergência do governo com PSD e CDS na submissão às regras e instituições da construção da “Europa dos Monopólios”, disse.

Para terminar com a afirmação da confiança que a CDU tem no povo e no País, que, com a luta vai tornar possível a construção de uma Europa de cooperação de TODOS os EUROPEUS, Europa de progresso dos trabalhadores, não deixando de fazer apelo à participação no 1º de Maio promovido pela CGTP.

Tivemos ainda tempo para escutar um poema, uma ode à liberdade, lido pelo camarada José Alberto Cardoso, escrito pelo camarada Joaquim Ramos Pereira, que não pode estar presente.

Regressamos a casa mais reforçados e confiantes na LUTA.

TODOS AO 1º DE MAIO!

 

Mafra, Abril de 2019.

 

 

______________________________________________________________________________________________________

As opiniões expressas nesse e em todos os artigos de opinião são da responsabilidade exclusiva dos seus respectivos autores, não representando a orientação ou as posições do Jornal de Mafra

______________________________________________________________________________________________________

 

 

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados