Mafra || Câmara visita Plasoeste em plena “crise dos plásticos”

Uma boa parte do executivo da Câmara Municipal de Mafra visitou a Plasoeste (empresa transformadora de plásticos) localizada na Venda do Pinheiro.

Segundo a própria Câmara Municipal de Mafra, como é habitual, em texto publicado nas redes sociais, o objetivo da visita terá passado pela assistência “uma demonstração, preparada com o apoio da Associação Portuguesa da Indústria de Plásticos, tendo tido ainda a oportunidade de verificar, in loco, o fabrico de produtos alinhados com a Economia Circular, conceito estratégico que assenta na redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia“.

A Plasoeste é uma empresa fundada no concelho em 1986, que esteve sediada em Mafra durante longos anos, tendo entretanto ocupado novas instalações, construídas de raíz, na Venda do Pinheiro. É uma sociedade por quotas (familiar) com um capital social de 350 000 euros, empregando atualmente (segundo dados da própria empresa) cerca de 80 colaboradores e tendo por sócio-gerente Silvino Miguel Alves Farracho, em sociedade com Arlinda Maria Ramilo Duarte Farracho.

A empresa dedica-se à produção/transformação de materiais plásticos (embalagens, folhas, mangas, filmes, fitas, películas e sacos plásticos) e a mudança de instalações de Mafra para Venda do Pinheiro implicou um investimento superior a 15 milhões de euros. Segundo dados publicados pela Câmara Municipal de Mafra, a empresa prevê atingir este ano os 20 milhões de euros em vendas.

Em Portugal, o mercado de embalagens de plástico cresceu 2,6 % em 2018, representando atualmente um valor de 207 milhões de euros.

Esta visita ocorre num momento em que a Assembleia de República aprovou o fim das embalagens de plástico para pão, fruta e legumes, “sacos de plástico ultraleves – os sacos de plástico com espessura inferior a 15 mícron, disponibilizados como embalagem primária para pão, frutas e legumes a granel” e as “cuvetes – embalagem ou recipiente descartável, geralmente envolvido em plástico ou em poliestireno expandido (esferovite), destinado a agrupar ou acondicionar pão, frutas e legumes“, medida destinada a entrar em vigor já em 2020, e num momento em que na Europa e não só, está em movimento uma iniciativa destinada a utilizar cada vez menos embalagens plásticas, nomeadamente, as que não sejam reutilizáveis.

A título de exemplo, a empresa Lidl tomou já a iniciativa de abandonar a venda de sacos de plástico em Portugal até final do corrente ano, igual anúncio foi comunicado por outras empresas, nomeadamente, pela Nestlé. A União Europeia espera que até 2030, todas as embalagens de plástico no mercado europeu sejam recicláveis.

 

Em 2017 (ano de eleições autárquicas) esta empresa foi distinguida pela Câmara Municipal de Mafra (com maioria absoluta do PSD), com a Medalha de Mérito Municipal Grau Ouro. De salientar ainda, que durante a campanha eleitoral para as eleições autárquicas de 2017, a empresa Plasoeste cedeu as suas instalações de Mafra – ignoramos, se gratuitamente ou onerosamente – ao PSD Mafra para a realização do seu jantar de campanha, como noticiámos na altura.

 

 

[imagem de capa: CMM]

 

 

 

 

NIF 501768319

 

 

 

 

 

 

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados