Hoje é o Mundial da Terra

O Dia Mundial da Terra celebra-se a 22 de abril e este ano com o mote da necessidade de protegermos as nossas espécies.

A data surgiu em 1970 quando o senador norte-americano Gaylord Nelson iniciou um protesto contra a poluição da Terra, depois de averiguar as consequências do desastre petrolífero que ocorreu em 1969 em Santa Barbara, na Califórnia.

O dia pretende “chamar a atenção para a necessidade da Humanidade viver em harmonia com o Planeta” uma vez que dela provêm o ar, a água, o solo, os recursos minerais, e todos os recursos que sustentam as sociedades e a economia.

A associação zero alerta para o fato de “se não agirmos agora, a extinção pode ser o legado mais duradouro da humanidade”.
Alguns dos números preocupantes sobre a atual onda de extinção:

  • O número de animais que vivem na Terra caiu 40% desde 1970.
  • As populações de animais marinhos também caíram 40% no total.
  • 40% das 11000 espécies de aves do mundo estão em declínio.
  • As populações animais nos ecossistemas de água doce reduziram-se 75% desde 1970.
  • As populações de insetos diminuíram em 75% em alguns lugares do mundo.
  • Cerca de um quarto dos recifes de coral do mundo já sofreram danos irreversíveis e 75% dos recifes de corais do mundo estão em risco de stress às escalas local e global.
  • Estima-se que os seres humanos tenham impactado 83% da superfície terrestre, o que em muito afetou os ecossistemas, bem como as áreas em que espécies específicas de animais selvagens existiam.

 

Todos os seres vivos desempenham um papel único e têm um valor intrínseco no mundo por isso todos devem trabalhar juntos para proteger espécies ameaçadas e ameaçadas de extinção: abelhas, recifes de corais, elefantes, girafas, insetos, baleias e muito mais.

É preciso:

  • Educar e sensibilizar para a taxa acelerada de extinção de milhões de espécies, bem como as causas e consequências desse fenómeno.
  • Alcançar grandes vitórias políticas que protejam grandes grupos de espécies, bem como espécies individuais e os seus habitats.
  • Construir e participar num movimento global que abrace a natureza e os seus valores.
  • Incentivar ações individuais, como a adoção de dieta baseada em vegetais e a interrupção do uso de pesticidas e herbicidas.

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados