Assim foram os dias de folia no Carnaval de Torres Vedras (os números e a folia)

O Carnaval mais Português de Portugal decorreu entre 1 e 6 de março, este ano sob o tema “Made in Portugal”, tendo contado, números da organização, com cerca meio milhão de foliões.

O evento arrancou na manhã de 6ª feira, 1 de março, com cerca de 8 000 a desfilaram no Corso Escolar do Carnaval de Torres Vedras (7 000 alunos e 1 000 professores e auxiliares).

À tarde, no Pavilhão Multiusos da Expotorres, foi a vez da Festa Sénior, que reuniu cerca de 1 000 utentes de 30 instituições dos concelhos de Torres Vedras, Mafra, Lourinhã e Sobral de Monte Agraço. Do evento, fez parte um concurso de grupos de mascarados onde participaram 16 grupos, num total de cerca de 320 seniores.

À noite foi instalada a Monarquia em Torres Vedras com Dom Portuga Folião Deboakasta e sua esposa, Dona Tintona P’ro Zé Povinho Nú Mafona, que depois de receberem a chave da Cidade deram inicio à folia e a diversão. ​

O resto do Carnaval foi feito de corsos diurnos e noturnos, do Concurso Grupo de Mascarados, que este ano contou com 44 grupos e cerca de 2 300 foliões, Corso Trapalhão e com o Concurso de Matrafonas, no qual participaram 40 matrafonas. O Arraial Fest e a atuação de Dj’s nos vários palcos instalados na cidade garantiram a folia durante a noite.

Na 4ª feira à noite com o “Rei julgado e executado” ficou o  “Carnaval acabado” terminando o Enterro do Entrudo com um espetáculo de Fogo de Artifício.

O Carnaval “mais Português de Portugal” que este ano teve o patrocínio do Ministério da Economia, contou com um orçamento a rondar os 750 mil euros e serviu cerca de 500 mil pessoas, mais 100 mil que no ano anterior.

Uma das apostas deste ano foi  a segurança, com a “implementação de barreiras antiterrorismo, realização de revistas à entrada do recinto e implementação de um sistema de videovigilância no perímetro do corso e nas zonas de animação noturna”.

No terreno, para assegurar que tudo decorria dentro da normalidade, estiveram cerca de 450 elementos da PSP aos quais se somaram elementos da GNR e do Serviço Municipal de Proteção Civil, Bombeiros Voluntários de Torres Vedras, Cruz Vermelha, Administração Regional de Saúde e uma empresa de segurança privada.

Entre o dia 1 e o dia 5 de março, a PSP registou, na cidade de Torres Vedras, várias ocorrências, das quais destacou “uma detenção por falta de habilitação legal para conduzir e dois roubos de telemóvel e 13 furtos”.

Segundo fonte dos Bombeiros Voluntários de Torres Vedras registaram-se este ano 151 ocorrências, essencialmente devido ao excesso de álcool e a traumas.  Só entre as 00:32 de dia 2 de março e às 11h48 de dia 5 de março registaram-se 101 ocorrências devido a intoxicação/excesso de álcool.

 

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados