Sintra | Utentes da Linha de Sintra manifestam-se por um “transporte ferroviário desenvolvido, seguro e eficaz”

A Comissão de Utentes da Linha de Sintra (CULS) vai manifestar-se, amanhã, 7 de março, às 17h30, na estação ferroviária de Queluz-Belas “contra a degradação da Linha de Sintra”.

Segundo o comunicado da CULS, ao qual o Jornal de Mafra teve acesso, refere-se que “ao longo da última década, os utentes da Linha de Sintra assistiram a uma profunda degradação do serviço prestado pela CP, fruto de políticas que promovem e incentivam a utilização do transporte pessoal em prejuízo do transporte público”.

A comissão refere ainda que a falta de investimento no transporte ferroviário conduziu ao envelhecimento e a falta de material circulante, que aliados à falta de manutenção, levou a uma “acelerada degradação das condições de utilização do serviço”.

O novo passe social intermodal, previsto para abril deste ano, representa “um passo importante para a valorização do transporte ferroviário, mas precisa do investimento adequado no serviço público” refere a CULS.

Do protesto de amanhã faz ainda parte o lançamento de um abaixo-assinado “por um serviço público de qualidade”, abaixo-assinado que irá circular nas próximas semanas e que reclama “o reforço do número de trabalhadores e equipamentos em todas as empresas do setor ferroviário, condição essencial para a melhoria da sua capacidade de resposta e da qualidade do serviço prestado aos utentes”. Reclama-se ainda a criação de espaços de estacionamento gratuito destinados aos utentes com título de transporte válido e horários de funcionamento que correspondam “às reais necessidades dos utentes” e que funcionem em articulação com os dos restantes meios de transporte da Área Metropolitana de Lisboa.

As queixas dos utentes desta linha perdem-se já no tempo, sendo as queixas, sempre as mesmas. O serviço não corresponde às necessidades de uma linha que todas as manhãs debita milhares de passageiros para a capital, transportando-os depois, ao fim da tarde, de regresso às suas residências.

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados