Berro – 1º Festival de Teatro de Mafra | Faísca Teatro apresenta “Rancho”

O grupo de teatro comunitário de Mafra “A Tribo”, tem-nos vindo a habituar a apresentações teatrais inovadoras e arrojadas, envolvendo sobretudo gente nova. Dirigido pela sua fundadora, Daniela Simões, o grupo abalança-se agora para um novo projecto, organizar o 1º Festival de Teatro de Mafra, “Berro”.

O Faísca Teatro é a primeira companhia a entrar em cena no dia 12 de Abril com “Rancho”.

Dia 12 de abril
21:30 – Faísca Teatro – “Rancho”

Entrada: Diária: € 7,50 | Pack Festival: € 19,00

Trata-se de um grupo de jovens atores que se juntou em 2012, para, suprir “uma necessidade que é a natureza do teatro: o encontro”. Uma grupo jovem que se dedica às artes performativas e queque mantém uma atitude de pesquisa e de questionamento. Fazem parte da Associação Cultural Resto de Nada, que desenvolve a sua atividade no Bairro Padre Cruz, Lisboa.

 

 

 

Alimentamos esta atitude de questionamento através de espetáculos capazes de envolver o público, criando bases conceptuais e as desconstruindo de forma subtil mas incisiva, relacionando a cena com o potencial interpretativo

 

 

 

Quisemos saber quem eram, como se definiam e de que tipo de teatro se faz este grupo.

Temos desenvolvido espetáculos teatrais de microteatro ou com uma duração mais convencional. O caso de «Rancho» é um espetáculo com essa duração mais convencional. Além do desenvolvimento de espetáculos teatrais, estamos sediados no Bairro Padre Cruz, através da Associação Resto de Nada, e através desta vamos desenvolvendo algum trabalho comunitário no Bairro.

Relativamente ao espetáculo que irá ser apresentado no Festival, o grupo apresenta-o deste modo.

 

Sinopse: O que significa comer? Em “Rancho”, o Faísca Teatro aborda o tema da alimentação numa exploração de como se interpreta o acto de comer. O que é que associamos à comida? Confronta-se a acção com a imaginação através uma estética ligada pelo ritmo. Os actores são os rapsodos deste cântico do corpo.

 

 

Este espetáculo teve a sua estreia em 2018 no Festival de Curitiba (o maior festival de artes performativas da América Latina) e desde então não tem parado. É a 14ª criação do Faísca Teatro.
É uma direção de Fábio Nóbrega Vaz e interpretação deste e de Beatriz Silva. Um espetáculo afecto às áreas do teatro físico, da performance e até da dança.

Quanto a planos para o futuro, o grupo Faísca Teatro espera…

Em 2019 seremos responsáveis por criar um espetáculo de homenagem à Manuela Maria (que será apresentado no início de Abril na Casa do Artista), faremos várias reposições de alguns espetáculos de microteatro, assim como outras reposições de «Rancho», e o resto dos planos, por agora, são segredos dos Deuses…

[Fotos de Pedro Serpa (preto e branco) e de Afonso Abreu (cor)]

 

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados

Leave a Comment