Vamos à Farmácia | O uso abusivo de sprays descongestionantes nasais

Vamos à Farmácia | Ana Quintela

 

O uso abusivo de sprays descongestionantes nasais

No contexto da farmácia comunitária sou cada vez mais sou confrontada com situações de abuso de sprays descongestionantes nasais.

Com a crença de que estão a usar um mero spray e pensando que isso não lhes causará grandes problemas para a sua saúde, conheço diversos utentes completamente dependentes dos descongestionantes nasais. Utilizam-nos sem se aperceberem dos efeitos secundários que estes causam logo a curto prazo e sem qualquer atenção às suas contraindicações, por exemplo em casos de glaucoma ou de hipertensão arterial não controlada.

 

Os descongestionantes nasais dilatam os vasos sanguíneos presentes no nariz.

Quando sofremos de congestão nasal, seja devido a uma constipação, a uma situação de sinusite ou a alergias sazonais os vasos sanguíneos nasais dilatam. Naturalmente, como a utilização de descongestionantes nasais origina a constrição dos vasos sanguíneos o seu uso permite aumentar o espaço na cavidade nasal aliviando assim os sintomas de congestão.

 

Causam rinite medicamentosa – Efeito rebound

Quanto mais usamos um descongestionante nasal, mais aumentamos a probabilidade de sofrer o efeito rebound. Isto significa que o seu uso prolongado pode originar rinite medicamentosa e inclusivamente a longo prazo outros problemas de saúde mais graves.

A única causa da rinite medicamentosa é o abuso de descongestionantes nasais. Quando excedemos a sua utilização recomendada os vasos sanguíneos nasais deixam de responder, pelo que a congestão nasal tende a agravar. Consequentemente, a tendência de alguns é aumentar a frequência da utilização do spray nasal e assim entramos num ciclo vicioso.

Para alguns este ciclo vicioso pode durar semanas, meses ou até mesmo anos.

Os receptores nasais deixam de responder ao descongestionante e a circulação nos vasos sanguíneos nasais é comprometida. Nestes casos, a congestão reaparece e torna-se geralmente mais severa.

 

E se não tratar a rinite medicamentosa?

Note-se que se sofrer o efeito de rebound após utilização continuada de descongestionantes nasais e não tratar essa situação de rinite medicamentosa pode provocar o aparecimento de situações diversas como sinusite crónica, rinite atrófica ou mesmo apneia do sono.

 

Quando entramos no ciclo vicioso da utilização excessiva de descongestionantes nasais, parar o seu uso repentinamente pode causar sintomas de abstinência.

Para além de um agravamento na congestão nasal, a abstinência destes descongestionantes pode causar dor de cabeça, ansiedade e dificuldade em adormecer ou manter o sono.

 

Sofro de rinite medicamentosa. E agora?

Não é difícil tratar o efeito rebound. Logicamente que a primeira medida é parar a utilização do descongestionante nasal. Durante o desmame destes sprays a primeira semana tende a ser a mais difícil no que se refere aos sintomas de abstinência. Depois, com o alívio dos sintomas começamos novamente a sentir mais conforto.

É importante procurar aconselhamento junto ao seu farmacêutico ou médico assistente. Normalmente recomenda-se a substituição do descongestionante nasal por soro ou soluções de água do mar hipertónicas (mais concentradas) e pela toma de anti-histamínicos orais para controlo de situações alérgicas. É ainda recomendado o uso de emolientes nasais, que existem maioritariamente sob a forma de sprays para a hidratação e reestruturação da mucosa nasal.

Adicionalmente, existem diversos estudos que recomendam a substituição do descongestionante nasal por um spray nasal com corticosteroides. Desta forma é possível minorar os sintomas de abstinência, bem como aliviar a congestão nasal.

 

Na verdade, o ideal seria sempre conseguirmos prevenir o aparecimento da rinite medicamentosa.

E é possível fazê-lo cumprindo precisamente as indicações relativas ao uso destes descongestionantes. Não deve aplicá-los mais do que duas vezes por dia e é fulcral que não exceda a sua utilização por mais de 3 a 5 dias seguidos.

Se necessário utilize comprimidos anti-histamínicos, limpe o nariz com frequência preferindo as águas do mar ao soro, visto que estas fazem uma melhor limpeza da cavidade nasal por terem maior concentração de sal e serem aplicadas sob a forma de jacto.

 

 

Artigos Relacionados