A origem do Bolo Rei

Hoje é dia de Reis e para comemorar, nada melhor do que comer uma fatia do bolo que deve o seu nome aos 3 Reis magos.

O bolo rei é um bolo redondo com um buraco (bem grande) no centro, que para além da massa leva uma mistura de passas, frutos secos e frutas cristalizadas.

Hoje em dia já não acontece – foram proibidos por razões de saúde pública – mas inicialmente o bolo continha, escondido no seu interior, uma fava seca e um pequeno brinde. Simbolicamente quem encontrasse a fava tinha de pagar o próximo bolo rei, o brinde de metal dava sorte a quem o encontrasse.

Em Portugal a tradição chegou no século XIX. A Confeitaria Nacional, em Lisboa, por volta de 1870 terá sido a primeira casa a vender esta iguaria confecionada a partir de uma receita trazida de Paris por Baltazar Castanheiro Júnior. Em Outubro de 1910, com a proclamação da república, o bolo-rei ficou em risco, uma vez que o seu nome continha a palavra rei. Os confeiteiros portugueses, tal como em França, deram a volta ao negócio mudando o nome ao bolo para “ex-bolo-rei”, “bolo de Natal” ou “bolo de Ano Novo”.

Reza a história que:
“A origem do bolo-rei remonta, ao que se sabe, ao tempo dos romanos. Estes tinham por hábito eleger o rei da festa durante os banquetes festivos, o que era feito tirando à sorte com favas, pelo que era também designado por vezes de rei da fava. A Igreja Católica aproveitou o facto de aquele jogo ser característica do mês de Dezembro e decidiu relacioná-lo com a Natividade e com a Epifania, ou seja, com os dias 25 de Dezembro e 6 de Janeiro. A influência da Igreja na Idade Média determinou que esta última data fosse designada por Dia de Reis e simbolizada por uma fava introduzida num bolo, cuja receita se desconhece atualmente.

O bolo-rei atual terá surgido na corte de Luís XIV, em França, para as festas do Ano Novo e do Dia de Reis. Vários escritores da época escreveram sobre esta iguaria, até mesmo Greuze a celebrou num famoso quadro com o nome de Gâteau dês Róis. Com a Revolução Francesa em 1789 o bolo-rei foi proibido, só que os pasteleiros, que não quiseram perder o negócio, em vez de o eliminarem decidiram continuar a confeciona-lo mudando-lhe o nome para Gâteau dês Sans-culottes”. [Wikipédia]

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados