Torres Vedras || Entrega de prémios diversidade cultural [reportagem/imagens]

Num momento em que afloram, em várias latitudes, ideias que constituem uma involução civilizacional, ideias que defendem o encerramento de fronteiras, a limitação de contactos e de relações entre povos, num momento em que os Estados Unidos, o Brasil, a Itália, a Áustria e alguns países do leste europeu trilham novamente caminhos que já pariram guerras e genocídios, em Torres Vedras, assistimos ontem a uma cerimónia em que se atribuíram prémios destinados a distinguir ações de integração de imigrantes.

Três municípios da Comunidade Intermunicipal do Oeste – Torres Vedras, Óbidos e Lourinhã – reuniram-se ontem em Torres Vedras para celebrar e distinguir a diferença, e a integração de imigrantes. José Tomé e José Pereira, vereadores das câmaras da Lourinhã e de Óbidos juntaram-se a Carlos Bernardes, presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, para entregar os prémios previamente atribuídos por um júri presidido por Pedro Calado, Alto Comissario para as Migrações.

Coube a Pedro Calado, o discurso da tarde. Assertivo e muito bem informado, desmontou, um por um, todos os argumentos sustentados por medos e mitos, que habitualmente são esgrimidos pelos que defendem a segregação e a violência contra migrantes.

240 milhões de migrantes, representando 3% da população do planeta
6,2% da população residente em Portugal são imigrantes
embora
os portugueses, quando inquiridos, revelem ter a sensação de constituírem 25% da população
A população europeia constituída por imigrantes não ultrapassa os 5%

Carlos Bernardes revelou que vivem e labutam no concelho de Torres Vedras, 3 100 imigrantes de 56 países diferentes, gente que contribui para a riqueza do concelho e que se encontra plenamente integrada.

Procedeu-se depois à entrega de 3 prémios a 3 instituições – IPSS, associações e escolas – que se distinguiram nas acções desenvolvidas em prol da integração de migrantes, em 3 áreas de atuação – artes, desporto e lazer, educação e cultura. Nestas três áreas foram distinguidas, respetivamente, a Associação de Jovens das Gaeiras, a Associação Tá a Mexer e a Associação para a Universidade da Terceira Idade de Torres Vedras.

A sessão foi encerrada pela vereadora da CM de Torres Vedras, Ana Umbelino, responsável pela área da cultura, que evocou José Saramago para se referir às “pessoas corajosas e arrojadas que deixaram o seu país para procurar uma vida melhor”.

À margem da cerimónia, Carlos Bernardes, presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras revelou estar a ser preparada, pelos 12 municípios da Comunidade Intermunicipal do Oeste, uma candidatura a Cidade Europeia da Cultura, no ano de 2027, ano em que cabe a Portugal assegurar esta organização.

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados