Foz do Rio Lizandro e os problemas continuam…de água verde a espumosa

Durante a época balnear o excesso da bactéria patogénica Escherichia coli nas águas da Praia da Foz Lizandro-Rio levou as entidades públicas a alertar para o facto de ser “desaconselhado ou proibido tomar banho”. Na última semana, não foi necessário recorrer a meios laboratoriais para verificar a salubridade daquelas águas, pois o rio tem acordado coberto de pouco suaves mantos, uns dias brancos, outros dias verdes.

Desde agosto que as linhas de água do município têm vindo a ser alvo de ações de limpeza e desobstrução, intervenções destinadas à:

– Remoção e eliminação de espécies invasoras e alóctones (promovendo a sua irradicação);
– Remoção manual ou mecânica de resíduos (detritos orgânicos ou inorgânicos);
– Podas de limpeza ou de formação da copa, Remoção de árvores caídas, abate de exemplares mortos, doentes e modelação;
– Consolidação e recuperação de margens incluindo trabalhos de perfilhamento ou reperfilamento pontual de margens.

Fruto ou não, destas limpezas que na semana passada decorrem no Lizandro, entre Cheleiros e a Sra do Ó, a água da Foz do Rio vestiu-se de um manto verde, durante cerca de uma semana.

Esta manhã, as cores mudaram e um manto branco e espumoso deixou a Foz do Lizandro novamente sujeita a cores e a substâncias que pouco prestigiam aquela praia.

[Imagens: Tó Lopes Martins]

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados