Resposta (a que lamentamos ter de recorrer) ao mensário da Ericeira a propósito das buscas da PJ à Câmara de Mafra

Para que não restem quaisquer dúvidas face a um ataque soez que tentou atingir o JM, publicamos de seguida os mails trocados entre o Jornal de Mafra e a Procuradoria Geral da República, a propósito das buscas à Câmara Municipal de Mafra, mails a partir dos quais foi redigida a nossa notícia, que foi replicada em órgãos de comunicação nacionais.

A publicação destes mails, que não faríamos em condições normais, destina-se a contrariar uma “notícia” essa sim falsa e caluniosa, publicada há poucos minutos, por uma página de facebook que veicula as posições de um mensário que se publica na Ericeira. Por alguma razão, estas calúnias são publicadas naquela página de facebook e não na página web que aquele jornal mantém. Ficaremos atentos, no sentido de verificar se tanta “coragem” levará aquelas afirmações caluniosas ao jornal em papel. Veremos de que fibra aquele jornal é feito.

 

O Jornal de Mafra reserva-se o direito de proceder criminal e civilmente contra aquele indivíduo por conduta caluniosa e pelo facto de essa conduta caluniosa poder conduzir a perdas e danos do Jornal de Mafra.

A mesma denúncia será feita, de seguida, aos administradores do Facebook.

A Câmara Municipal de Mafra não precisa, seguramente, e muito bem, de gente que se ponha em bicos de pés para a defender.

Lamentamos ver-nos obrigados a trazer este tema às páginas do Jornal de Mafra, mas o provincianismo e a falta de profissionalismo daquela publicação e de quem a mantém, não nos deixaram, infelizmente, outra alternativa na defesa do bom nome do JM e daqueles que aqui trabalham.

Não voltaremos a este tema antes que a queixa judicial que apresentaremos, seja julgada.

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados