Parque Intermodal da Venda do Pinheiro só será inaugurado em finais de Novembro

O novo Parque Intermodal da Venda do Pinheiro e a nova a prorrogação do seu prazo de conclusão foi tema de discussão na sessão da Câmara Municipal de Mafra, que teve lugar na última sexta-feira.

Sérgio Santos, vereador do PS entrou “a matar”, referindo não estar disposto a votar favoravelmente este novo adiamento da conclusão da obra, referindo ser a empresa a que a obra está a cargo, a AECI, a mesma empresa que está a construir o novo centro de saúde, cujo prazo de conclusão também descarrilou. Secundado por Rogério Costa, deputado independente pelo Partido Socialista, anunciou a abstenção do PS, referindo que, a surgir novo pedido de adiamento, passaria da abstenção para a votação contra.

Hélder Silva afirmou estão, estar igualmente decepcionado com os adiamentos verificados, referindo que também ele não estaria disponível para aceitar qualquer novo adiamento da conclusão das obras do novo Parque Intermodal da Venda do Pinheiro. Justificou os sucessivos adiamentos, com os muitos problemas técnicos que esta obra terá defrontado – problemas de águas, problemas relacionados com a empresa de projectistas do Porto, a qual, segundo as palavras do presidente, terá feito muito bom trabalho nos centros de saúde em construção no concelho, mas que não estaria preparada para uma obra destas características, mais os problemas que a nova rotunda estará a causar, nomeadamente pela sua proximidade com a bomba da Galp, tudo isto, situações que justificariam cabalmente a derrapagem dos prazos.

Perante a posição dos vereadores do PS, que anunciaram ir abster-se, Hélder Silva “pressiona-os” no sentido de que votassem a favor, ao lado da maioria. Sérgio Santos hesita e pede a suspensão dos trabalhos, para conferenciar com Rogério Costa. Voltam um minuto depois, dispostos já a votar favoravelmente, esvaziando assim a polémica que, com alguma acutilância, tinham imprimido no início da discussão deste ponto da ordem de trabalhos.

Com mestria política, Hélder Silva afastou assim a pressão sobre a AECI, esvaziou politicamente os sucessivos adiamentos da obra, afastou também a pressão sobre a maioria, assegurando uma votação unânime, numa questão que se poderia tornar em embaraço político. Hélder Silva é senhor de uma inegável mestria politica, disso não restam quaisquer dúvidas.

 

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados