São Lourenço | O rio Safarujo está morto e a comunidade de patos segue o mesmo caminho [Imagens]

Depois de termos recebido várias queixas referindo que na sua foz, junto à praia de S. Lourenço, o rio Safarujo estaria quase seco, com danos graves ao nível do ecossistema local, reflectindo-se sobretudo nos peixes e numa comunidade patos que por ali vive e se reproduz, decidimos deslocarmos-nos ao local em reportagem.

Na sua foz, o rio (ribeira) está efectivamente com muito pouca água, resumindo-se alguns poucos charcos de água parada, pouco extensos, e só nos últimos metros de leito junto à foz. Por lá vimos, efectivamente, uma comunidade de patos com cerca de 35 efectivos, entre aves adultas e juvenis.

Como sabemos, este ano choveu muito pouco e como é habitual, são as ribeiras mais estreitas e menos extensas, aquelas que vêem os seus caudais afectados mais rapidamente. Na realidade, as informações que nos chegaram, relacionavam estes baixos caudais, com a existência de estreitamentos artificiais a montante, provocados por agricultores que pretenderiam, assim, assegurar reservas de água para rega, tendo-nos sido referida, especificamente, a existência de uma represa que impediria o curso da agua até à foz.

[imagem de arquivo do JM tirada em Dezembro 2015]                                                  
Percorremos o curso da ribeira até ao viaduto, podendo verificar que a vegetação já tomou grande parte do leito da ribeira e que as zonas húmidas são por ali praticamente inexistentes.

Chegou-nos a informação de que já terá sido formalizada uma queixa na GNR, aguardando-se pois o desencadear da investigação e as respectivas conclusões. Sendo que o verão, o verdadeiro verão, ainda não chegou a estas paragens, se isso vier a acontecer nos tempos mais próximas, é natural que a água ainda disponível na ribeira, acabe por se esgotar, colocando assim em sério risco a sobrevivência da comunidade de patos que por ali vive. Quanto aos Ruivaços do Oeste, naquele espaço não têm já quaisquer condições de sobrevivência.

 

O rio ou ribeira de Safarujo, também conhecido como rio (ou ribeira) do Sobral, nasce na Malveira, passa pela Tapada de Mafra e por Sobral da Abelheira, no seu trajecto recebe as águas de vários ribeiros, tendo a sua foz na Praia de São Lourenço. Da nascente á foz, terá uma extensão de cerca de 17, 5 kms.

Em 2017, este rio foi alvo de trabalhos de limpeza, desobstrução e regularização do seu curso, trabalhos que orçaram em cerca de 183 mil euros. Já em 2018, o rio Safarujo recebeu 100 Ruivaços do Oeste, uma espécie ameaçada de peixes de agua doce.

 

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados