A concelhia de Sintra do CDS-PP e a sua representação na distrital

No artigo intitulado CDS-PP de Mafra aumenta número de representantes na distrital, publicado no Jornal de Mafra a 22 de Junho de 2018, dávamos conta dos resultados das eleições para a Distrital de Lisboa (Comissão Política Distrital) do CDS-PP, referindo a eleição, pela primeira vez, de dois elementos a representar a Concelhia de Mafra (Comissão Política Concelhia) na Distrital (Comissão Política Distrital) de Lisboa do CDS-PP.

O referido artigo teve origem numa conversa com Mário de Sousa, Presidente da Comissão política Concelhia de Mafra, daquela força política. Quisemos saber, como é que magros resultados eleitorais em Mafra, nas últimas autárquicas, se transformavam num aumento do número de representantes (de 1 para 2) da Comissão Política Concelhia de Mafra, na Comissão Política Distrital de Lisboa daquele partido.

A partir de informações que nos chegaram, referindo a inexistência de representantes da Comissão Política Concelhia de Sintra na Comissão Política Distrital de Lisboa do CDS-PP, quisemos conhecer a posição de Mário de Sousa a este propósito. Disso mesmo foi dado conta no artigo, nos seguintes termos:

Quisemos finalmente saber por que razão a lista candidata à distrital do CDS-PP tem representantes de todas as concelhias, excepto da concelhia de Sintra. Mário de Sousa, referindo estar a exprimir a sua opinião pessoal, classificou este caso como “complicado”, uma vez que não haverá entendimento entre os filiados do CDS-PP na concelhia de Sintra, isto, desde que surgiu uma divisão entre aqueles que nas últimas autárquicas, apoiaram a coligação com o PSD e aqueles que queriam que o CDS-PP fosse a votos sozinho. “Quem perde com esta situação é o partido, porque a comissão política de Sintra é muito importante e tem um número de militantes demasiadamente importante, para se poder dar ao luxo de andar com este tipo de quezílias”.

Publicado o artigo, recebemos de Mário de Sousa, Presidente da Comissão Política de Mafra do CDS-PP, a seguinte nota de esclarecimento:

Em relação ao apontamento da reportagem dedicada ao Presidente da Comissão Política do CDS PP de Mafra, gostaríamos de efetuar uma precisão quanto à informação respeitante à composição dos novos órgãos da Distrital de Lisboa do CDS-PP:
Com efeito, a Comissão Política Distrital de Lisboa integra 3 militantes da Concelhia de Sintra e ainda um outro militante na Mesa do Plenário Distrital.

 

Nota da redacção

O Jornal de Mafra esclarece que, quando se refere, no artigo, “…tem representantes de todas as concelhias, excepto da concelhia de Sintra…”, o sentido da pergunta, no contexto do diálogo que deu origem ao artigo, remeteu, não para o facto de haver, ou não, militantes do CDS-PP da área geográfica de Sintra, presentes na Comissão Política Distrital de Lisboa daquele partido, mas sim, de haver ou não haver, nessa comissão política, militantes indicados pela estrutura responsável pela orientação política do CDS-PP em Sintra, ou seja, a sua actual Comissão Política Concelhia de Sintra. Ou seja, a questão colocada pelo jornalista era de carácter político – à qual Mário de Sousa respondeu, também no plano político, embora a título pessoal.

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados