OPINIÃO POLÍTICA | Pedro Ramos – Turismo num Município Partilhado

Turismo num Município Partilhado 

 

Mafra é um concelho que dispõe de um enorme potencial turístico. Desde a sua tradição saloia, passando pelas suas praias e campos, bem como o património histórico e arqueológico, fazem de Mafra um destino com uma enorme procura tanto nacional como internacional.

Temos no nosso concelho o Palácio Nacional de Mafra, uma importante obra do estilo Barroco-Joanino, considerado monumento nacional desde 1910. Este, para além do seu imenso património exposto, possui dois carrilhões (os maiores do século XVIII existentes no mundo), com um total de 98 sinos. O maior tesouro do palácio é, sem dúvida, a sua biblioteca, com um chão em mármore, estantes em estilo Rococó e uma colecção que ultrapassa os 36.000 livros com encadernações em couro gravadas a ouro, muitos dos quais encadernados na oficina local.

Outro dos tesouros do nosso concelho é a Tapada Nacional de Mafra, que possui uma larga diversidade de espécies animais e vegetais, o que proporciona uma experiência única a quem procura este tipo de turismo.

Por fim, queria salientar igualmente a primeira Reserva Mundial de Surf da Europa, que se estende entre a Praia da Empa (Freguesia da Ericeira) e a Praia de S. Lourenço (Freguesia de Santo Isidoro). Nesta faixa costeira podem-se encontrar ondas de classe mundial, tais como, Ribeira D´Ilhas, Coxos, Pedra Brava entre tantas outras. O surf sendo um desporto em franca expansão (vai integrar os Jogos Olímpicos), tem nesta costa, tudo o que surfistas de todo o mundo procuram para a sua prática. Este tipo de turismo que decorre durante todo o ano, tem sido fundamental para a economia do nosso concelho e em particular para a Ericeira.

Estes são apenas alguns exemplos da enorme potencialidade do nosso concelho a nível do turismo.

Mas face a tudo isto, a Câmara Municipal tem que assumir as suas responsabilidades, quer a nível da protecção da paisagem quer na protecção à habitação social das populações das zonas mais procuradas e que são alvo da especulação imobiliária, descaracterizando assim as suas vilas e aldeias em nome do lucro. Mafra tem de ser um concelho partilhado entre quem o habita e quem o visita.

Para finalizar quero endereçar os meus sinceros parabéns ao Clube Desportivo de Mafra pela excelente época desportiva que culminou com o título no Campeonato de Portugal, e desejar também felicidades para a sua participação na Segunda Liga na época que se avizinha, com a certeza que elevará sempre o nome de Mafra.

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados