30 de Maio | Dia Mundial da Esclerose Múltipla

Desde 2009 que se celebra o Dia Mundial da Esclerose Múltipla e o tema escolhido este ano pela Federação Internacional da Esclerose Múltipla, “Bringing Us Closer”, pretende “celebrar o contributo das múltiplas vertentes da investigação, para atingirmos a meta de acabar de vez com a EM”.

Hoje a campanha “Alerta Laranja – Juntos Vencemos a Esclerose Múltipla” está na rua e tem por objetivo despertar a opinião pública para a importância de apoiar e melhorar a qualidade de vida das pessoas afetadas pela doença.
“Uma onda laranja vai invadir Portugal: fachadas de edifícios e monumentos emblemáticos como o Cristo Rei, o Templo de Diana ou o Castelo dos Mouros vão ser iluminadas da cor laranja, a cor da esclerose múltipla.”

Ainda vai a tempo de ajudar esta causa, para isso:
– Vista uma peça de roupa laranja (calças, tshirts, uma fita na cabeça…)
– Registe o momento com uma foto e partilhe-a no seu perfil de Facebook com #emalertalaranja
– Por cada partilha 1EURO reverte a favor das associações de doentes com EM

 

A Esclerose Múltipla é normalmente diagnosticada entre os 20 e os 40 anos e em Portugal afecta cerca de 8.000 pessoas, sendo duas vezes mais prevalente nas mulheres do que nos homens.

O que é a esclerose múltipla?
A esclerose múltipla é uma doença auto-imune, degenerativa do sistema nervoso central, que afecta jovens adultos com idades entre os 20 e os 40 anos, mas sobretudo mulheres jovens. Afecta funções como a visão, a locomoção e o equilíbrio. A esclerose múltipla pode tornar-se incapacitante anos após o diagnóstico da doença.

Factores de risco da esclerose múltipla
Os investigadores defendem que a doença é causada por uma combinação de factores hereditários e ambientais:

  • tabaco
  • factores ambientais como a falta de exposição solar
  • factores genéticos

Como identificar a esclerose múltipla
Os sintomas desta doença variam muito, e dependem da localização da inflamação e da desmielinização no sistema nervoso central.

  • Fadiga
  • Neurite óptica (inflamação do nervo ótico-nervo da visão)
  • Perda da força muscular nos braços e pernas
  • Alterações da sensibilidade
  • Dor
  • Alterações urinárias e intestinais
  • Problemas sexuais
  • Equilíbrio/coordenação
  • Alterações cognitivas
  • Alteração de humor e depressão
Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados