Crónicas de Jorge C Ferreira | Caravelas Portuguesas

Caravelas Portuguesas

De repente um alvoroço desusado. As bandeiras vermelhas a serem içadas nas praias de bandeira azul. Os nadadores salvadores a apitarem desalmadamente. Ninguém pode ir ao banho. Que se passa? Um Tsunami?

Nada disso! São as “Caravelas Portugueses” a invadirem os areais Alicantinos. São vistosas. Têm uns tentáculos de metros. Tocar-lhes, um perigo. A invasão faz-se de forma lenta. Não sei se alguém vem dentro daquelas caravelas. Por vezes imagino seres invisíveis a saírem do seu bojo e a espalharem-se pela terra inteira. Que terra iríamos ter? Quem nos iria governar?

Há alerta geral no Reino. Ninguém gosta de ser invadido. Vou dizendo que sou Português, mas que vim de avião. Tento minimizar as suspeitas. O sol está a aquecer. Estar na praia sem poder tomar banho deve ser aborrecido. Eu, como não sou frequentador do areal sou mais apontado. Tenho que aguentar. Só para o mês que vem tomo o meu banho de mar anual. À meia-noite, na noite de S. João. Tudo isto se tal, na altura, me for permitido.

Eu sabia que os portugueses continuavam a navegar por aí. Somos uns eternos aventureiros. Chegámos a todo o lado. A sítios que nem imaginávamos. Arranjámos, agora, esta nova maneira de chegar a outros lugares. O medo que eles têm de nós! Até proíbem os banhos de mar.

As ditas caravelas são retiradas da areia com todos os cuidados. Só falta mandarem robots fazerem o trabalho. Dizem que é o vento que as traz. Nós sempre fomos amantes do vento. Sempre velejámos. Assim chegámos a terras do sem fim. Agora reconhecem-nos nestas alforrecas assassinas.

Na minha esplanada dizem que fui eu que as trouxe. Vou dizendo que sim e mais que também. Não sei o nome destes novos navegadores. Destes descobridores de águas calmas e terras já encontradas. Não sei das suas rotas. Continuam-me a dizer que é o vento. Que o vento que as traz as irá levar. Entretanto lá está a bandeira vermelha. Não sei quanto tempo isto irá durar.

Filipe VI, que Rei de toda a Espanha se afirma, diz estar atento. Sempre os Filipes! No Reino de Valência a calma reina. Todos são bem vindos. O turismo, o turismo!

Serão estas “Caravelas Portuguesas” os novos turistas? Conseguirão no futuro chegar à areia e continuar a vida? Virão a ser a maioria no reino? Tanta questão!

Questões que preocupam quem se preocupa com as estranhas coisas. O que nos havia de aparecer! As “Caravelas Portuguesas”!

Outra coisa me preocupou. No preciso dia em que escrevi, no meu texto diário, que a obra da faraónica torre em forma de vela e com 21 andares ainda não tinha começado, apareceu um caterpillar a tirar coisas do terreno. Se é para começar a obra agora, é de doidos. A partir de Julho é proibido. Para que fui eu falar disto? Há coisas que devemos calar para não acontecerem. Que coincidências! Não acreditam em coincidências? Também aceito. Mas olhem, é o que temos!

Sobre as caravelas vou falando com os nadadores salvadores. Oiço da sua esperança que o vento vai mudar. Querem que as pessoas estejam na água para tomarem conta delas e não estarem sempre a apitar quando alguém põe um pé no mar. Querem cumprir com a função para que foram treinados. Dou-lhes razão!

Só espero que tudo esteja em condições para o meu banho anual de mar. Noite de S. João à meia-noite. “Caravelas Portuguesas” apontem isso nos vossos planos.

Isaurinda, temos de ir ao banho!

Jorge C Ferreira(Reino de Valência) Maio/2018(171)

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados

28 Thoughts to “Crónicas de Jorge C Ferreira | Caravelas Portuguesas”

  1. Manuela Moniz

    Nunca imaginei que as “caravelas” que amedrontam os espanhóis fossem portuguesas! Nós somos uns destemidos mas pacíficos aventureiros. Elas passam por aqui, também, vamo-nos desviando à nossa maneira, sem grande alarido, somos gente de pele rija, moldada pela rocha. Beijinho, Jorge, com cautela mergulha no mar, na noite de S. João. Gostei muito da tua crónica. Tão engraçada!

    1. Jorge C Ferreira

      Obrigado Manuela. Somos de todo o lado. Em todo o lado nos encontramos. Que bom teres gostado. Abraço

  2. Madalena Pereira

    Ai essas Caravelas…Que já lá não estejam na noite de S. João e que possa tomar o seu banho descansado. A tradição é para cumprir! Um beijinho

    1. Jorge C Ferreira

      Obrigado Madalena. Esperemos que não. Para já desapareceram. Abraço

  3. Isabel Soares

    Texto leve e giro.

    1. Jorge C Ferreira

      Obrigado Isabel. Grato por ter lido e comentado. Abraço

  4. Raquel Lameirão

    Ai mas que texto divertido para desanuviar….cheira a mae e praia, férias…..que bom…..
    As caravelas portuguesas, são marotas, mas lindas…..
    Dos Filipes reza a história, que mais incomodaram, do que as caravelas portuguesas…….ahaha!!!!

    Boa praia e bom banho na noite de S.João!!!!

    Abraço Jorge!!

    1. Jorge C Ferreira

      Obrigado Raquel. O tempo de outras caravelos e de outros reis. Abraço

  5. Cristina Ferreira

    As caravelas já têm outros planos. Nada irá impedir o ansiado banho da meia-noite na noite de São João.
    Bela, inteligente e divertida crónica. Tão bom ler-te, querido Jorge. Beijinho à Isaurinda. Obrigada

    1. Jorge C Ferreira

      Obrigado Cristina. Gostei que gostasses. Será entregue. Abraço

  6. Isabel Pires

    Lindas as caravelas nada iguais a essas medusas que nos electrificam sem esperar. O seu banho será possível na noite de S. João porque as águas estarão calmas e doces como em qualqer noite de verão . Abraço

    1. Jorge C Ferreira

      Obrigado Isabel. As caravelas as eternas caravelas. Mufaram derimo. Tudo mais calmo. Abraço

  7. Regina Conde

    Com tanto mar a espécie “maléfica”, as Caravelas Portuguesas de belas cores e nunca independente tornaram interdita a tua praia. Conquistadoras como o nome indica. Humanos mais sensíveis não se deixem tocar. O edifício inoportuno tardava. O teu banho anual de tanto significado vai acontecer com a Isaurinda de mão dada. Muito inteligente com muito humor este texto. Abraço Jorge.

    1. Jorge C Ferreira

      Obrigado Regina. Que bom teres gostado. É sempre bom saber que nos lêem. Abraço

  8. Maria da Conceição Martins

    Um texto divertido Jorge. Quem não achou nada divertido foram os nuestros hermanos que mais uma vez tiveram que levar com as caravelas Portuguesas. Não faz mal Jorge também aturámos os Filipes muito tempo. Estou a brincar amigo, espero que las não lhe toquem porque acho que não é agradável, mas hão-de desaparecer assim como vieram. Grande abraço e boas férias.

    1. Jorge C Ferreira

      Obrigado Maria da Conceição. Esta saga dos Filipes! As caravelas já foram para Palma de Maiorca! Não os largam! Abraço

  9. Célia M Cavaco

    Aqui Del,Rei,serão as criaturas transparentes e perigosas? De certo terão tomado as devidas precauções,porque uma invasão é sempre uma invasão.Cuidado,embora falte para a noite de São João as caravelas portuguesas poderão também visitar e permanecer no reino para faustosas folias…
    Acabei por me rir das ditas caravelas portuguesas,por instantes esqueci essas criaturas perigosas. A minha imaginação levou-me à recepção das tão esperadas Caravelas Portuguesas aí no reino de sua magestade com arautos e vestidos brocados de verdadeiras esmeraldas.Afinal,o meu amigo escrevinhador deu mote para que a minha imaginação se divertisse à distância dessas ditas caravelas portuguesas “Piratas” do reino.Abraço meu sempre amigo.Bj!

    1. Jorge C Ferreira

      Obrigado Célia. Que bom que gostaste desta brincadeira. Um abraço enorme.

  10. Teles Ivone Teles

    Querido Jorge, acho que algumas Caravelas Portuguesas vieram à tua página do jornal. Já escrevi um comentário que desapareceu. Não gosto. É a segunda vez que aconteceu.
    ” Lemos o título e voltamos atrás no tempo, pensando ter voltado aos descobrimentos. Não, estas não são as Caravelas que sulcaram os mares para dar ” novos mundos ao mundo “. Tem cuidado, porque estas são medusas, ou alforrecas como alguns chamam. Têm um veneno que, dizem, produzem uma espécie de choque, largando um produto que queima a pele. Não gostam de banhistas e querem o mar só para elas. Da areia tentam que saiam para não magoar os banhistas.
    Quando chegar a noite de S.João verás que podes tomar o teu banho. É assim que te tornas a pessoa que és? Não, meu amigo. Tu és o que o teu interior e a tua vida fez de ti. Livra-te das Caravelas, toma o teu banho e volta para o convívio dos amigos que te amam. A Isaurinda tomará conta de ti. Beijinhos <3

    1. Jorge C Ferreira

      Obrigado Ivone. Tomarei as devidas cautelas. Está descansada. Quanto ao outro comentário está mais abaixo, já o vou ler. Tão bom ler o que escreves. Abraço

  11. Idalina Pereira

    As Caravelas Portuguesas continuam a “desbravar”os oceanos.
    Outrora para dar mundos ao mundo, agora para estragar o mundo.
    Que o vento as leve para nenhures, antes do seu banho anual.
    Um abraço, amigo e boa fruição nesse reino

    1. Jorge C Ferreira

      Obrigado Idalina. Alguma função debem ter neste mundo. Têm tentáculos fe metros. Cuidado com a navegação. Brincadeira. Abraço

  12. Teresa Almeida

    As caravelas portuguesas são muito venenosas; o seu texto é delicioso.

    1. Jorge C Ferreira

      Obrigado Teresa. É verdade o que diz. Novas aventuras. Abraço

  13. Esmeralda Machado

    Gostei muito da sua crónica, mas amigo muito cuidado com as caravelas portuguesas. O seu veneno é muito perigoso. Um abraço e aguarde pelo seu banho no dia de São João.

    1. Jorge C Ferreira

      Obrigado Esmeralda. Farei como diz. Abraço

  14. Teles Ivone Teles

    Olá amigo. Caravelas Portuguesas e pensa-se que marinheiros nossos voltaram ao mar para ” descobrir novos mundos ao mundo.”. Mas não, estas Caravelas são medusas que têm o poder de magoar quem delas se aproxima. Dizem que picam e deixam um rasto alérgico na pele difícil de passar. ” Caravelas Portuguesas lhes chamam e eu penso se será porque magoam. Assim são observadas de Terra, enquanto outros as apanham com imensos cuidados para não lhes tocarem. Jorge, tenho a convicção que, antes do teu costumado banho de S. João, as caravelas se irão embora para o mar largo, longe da areia donde os banhistas as afugentam. Pois que não percas o teu banho santo com Isaurinda. Beijinhos meu querido amigo.

    1. Jorge C Ferreira

      Obrigado. Ivone. Um luxo ter dois comentários teus. Que bom. Outro abraço.

Comments are closed.