OPINIÃO POLÍTICA | Matilde Batalha – Circo sem animais em Mafra

Circo sem animais em Mafra

 

No passado fim-de-semana, entre 18 e 20 de Maio o circo esteve em Mafra, na zona da Quinta das Pevides. O Royal Circus – Circo Chen, um circo sem animais. Já não é a primeira vez que acontece um circo sem animais vir atuar em Mafra e esperemos que não seja a última. Aliás, esperemos que apenas estes circos, com recurso às artes circenses realizadas exclusivamente por seres humanos, venham a Mafra. Um circo que apresente homens e mulheres a exibir o seu amor e dom por esta arte, revelando o potencial de auto-superação humana, de desafio e esforço notáveis. Um circo verdadeiramente belo.

Porque defendemos um circo sem utilização de animais? Um espetáculo para entretenimento e diversão não deve ser conseguido à custa do sofrimento tremendo de seres vivos. Os animais de circo são retirados dos seus habitats naturais ou impossibilitados de lá viverem, encontrando-se sujeitos a treinos cruéis e mantidos em espaço exíguos e em condições que não lhes garante bem-estar. Fazem uma vida nómada, sujeitos a muitas horas de viagem para as diferentes localidades onde o grupo circense vai atuar.

As pessoas que trabalham no circo têm também, muitas vezes, condições de vida complicadas, mas os animais não tiveram escolha, foram aprisionados e mantidos em cativeiro para exploração humana. Para estes humanos artistas, libertarem os animais dos circos poderia ser uma oportunidade para se desenvolverem enquanto artistas, sem instrumentalizarem outros seres vivos a quem não foi dada a escolha de estarem ali. Poderia até ser a oportunidade para criar emprego para outros artistas de talento inquestionável.

Atualmente os circos não podem adquirir nem fazer reprodução de animais selvagens, graças a uma portaria de 2009. Contudo esta alteração à lei, ao não proibir a utilização de animais, obriga a que os animais que ainda se encontram nos circos sejam forçados a trabalhar até morrerem ou até deixarem de ter utilidade para os proprietários dos circos.

O PAN, apesar de saudar o passo em frente que essa portaria representou, entende que proibir totalmente a detenção e utilização de animais pelos circos, seria o ideal. O que aconteceria a estes animais? Seriam colocados em santuários, parques de bem-estar animal ou reservas naturais.

Fora de Portugal, países como a Áustria, Costa Rica, Croácia, Singapura, Bolívia, Suécia, Suíça, Finlândia, Índia, Alemanha, Reino Unido, entre outros, proibiram ou restringiram a utilização de animais em espetáculos de circo, concluindo que as condições em que os animais atuam são prejudiciais ao seu bem-estar físico e emocional. Portugal deve ir nesse sentido e reconhecer que esses não são espetáculos condignos. Enquanto isso não acontece, as autarquias podem ter um papel importante, não autorizando que circos com animais atuem no Concelho.

Mafra pode caminhar no sentido de ser um Concelho amigo dos animais não emitindo licenças a espetáculos circenses que incluam a exibição ou utilização de animais. Mafra pode dar esse passo civilizacional e colocar-se a par de outros municípios que já tomaram essa decisão compassiva e ética, nomeadamente Lisboa, Évora e Funchal. Mafra pode juntar-se a um movimento mais amplo e crescente de libertação e respeito pela vida. 

Os(as) mafrenses também desempenham um papel central ao escolherem não assistir a estes espetáculos, enviando uma mensagem clara de que não é aceitável o uso dos animais no circo.

Os animais selvagens têm o direito a uma existência inserida no seu habitat natural e jamais forçados a trabalhar sob sofrimento constante. Os comportamentos exibidos pelos animais nos espetáculos de circo não são comportamentos naturais, construindo, sobretudo nas crianças, uma imagem deturpada dos animais que não corresponde à realidade da sua natureza, incorrendo-se na possibilidade destas passarem a ver os animais subjugados aos seres humanos, ao invés de respeitarem os animais. Com o circo sem animais a diversão e entretenimento continuam presentes e o exemplo dado às crianças é de esforço e superação humana e não de exploração e dominação pela força.

 

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados

One Thought to “OPINIÃO POLÍTICA | Matilde Batalha – Circo sem animais em Mafra”

  1. Manuela André

    Circo sem animais em Mafra

Comments are closed.