OPINIÃO POLÍTICA | Alexandre Seixas – Sobre a Tomada de Posse da Comissão Política Concelhia do Partido Socialista de Mafra

Sobre a Tomada de Posse da Comissão Política Concelhia do Partido Socialista de Mafra.
“Unidos somos Mais Fortes com a Força Socialista”

 

O último dia 6 de abril, foi um dia feliz para o PS Mafra e por maioria de razão, foi um dia feliz para Mafra. Isto, porque tomou posse a nova Comissão Política.

Foi um dia feliz também para mim, pois fui convidado e humilde e orgulhosamente aceitei fazer parte desta solução e deste projeto. Importa encarar sempre os desafios com a disposição de ajudar a ultrapassá-los.

Um PS unido e forte é meio caminho andado para uma melhor Mafra.

Celebrado este momento de felicidade política, pessoal e concelhia, importa começar a trabalhar, já. Esta foi mesmo a mensagem fulcral que emanou da reunião. Este PS, reunido e fortalecido, já começou a demonstrar o que vale e ao que vem, seja pela dinamização da presença nas redes sociais, constante e sempre em atualização, (https://www.facebook.com/PS.Concelhia.de.Mafra/) com conteúdos importantes e pertinentes para todos os mafrenses, seja pela apresentação em diversas sedes de novas propostas, que mais cedo ou mais tarde são adotadas pelo poder instituído.

É preciso perceber-se que o trabalho exemplar trazido a todos os portugueses pelo governo atual do PS pode, deve e vai ser replicado aqui no nosso concelho. Chega de sentir medo ou retraimento perante o polvo, representado pelo PSD e seus agentes que com os seus tentáculos bem agarrados a todos os locais e instituições onde habitam os pequenos poderes, quer continuar a limitar e eternizar uma política de propostas e soluções únicas, para o presente e o futuro do nosso concelho. O que está feito, está feito… Agora temos de mostrar que fazemos diferente. Que Mafra não tem de ser esta ilha em que todas as decisões são tomadas olhando apenas para o umbigo.

Um exemplo recente e prático de como as coisas mudaram, e ainda bem, para melhor na ação socialista mafrense, encontra-se nesta última “crise” alimentada e trazida à luz da ribalta pelo Sr. Presidente do Executivo municipal, em relação aos carrilhões. Todo o circo mediático, que culminou com uma ida à RTP, ao programa Prós e Contras foi uma estratégia única e simplesmente centrada em tentar culpar o atual governo pelo estado de algo que foi abandonado por sucessivos governos. Ora, a ação do PS Mafra, com a ida a Lisboa e marcação de uma reunião na Assembleia da República com alguns deputados ligados ao património e cultura, foi bem mais assertiva, já que logo no dia seguinte se conheceu a boa nova, de que os valores já orçamentados e reservados tinham sido finalmente desbloqueados. É este tipo de ações que estão e estarão à disposição de quem quer melhorar Mafra e mostrar que se pode fazer as coisas de forma diferente. “Sempre a inovar”, não é fazer sempre tudo da mesma forma usando sempre os mesmos métodos.

É importante que tudo o que se passa seja devidamente publicitado e levado ao conhecimento da população. Se é verdade que o trabalho, e bem, deve começar já e fortalecer-se todos os dias, pois é isso que nos pedem os munícipes, é também verdade que é necessário dizer claramente o quão difícil é, em Mafra, constituir equipas que não sejam cor de laranja.

 

É preciso demonstrar a toda a população o constante desrespeito pelo normativo, que os próprios redigem e fazem aprovar, perpetrado por todos os patamares políticos desde as estruturas mais próximas de todos nós, que são as Juntas de Freguesia… os prazos não são cumpridos, as normas são desrespeitadas, os membros dos órgãos atropelam-se e sobrepõem-se na sua ação.

A política do quero, posso e mando tem de ser desmascarada. Assiste-se em Mafra, nas reuniões de Assembleias e Executivos, a autênticos teatros, cujo texto da peça parece já ter sido previamente preparado e estudado. Só que, até aí, o cenário é sofrível, pois os agentes políticos do partido maioritário, não intervêm, não falam, parecendo não ter sequer opinião, ou sendo-lhe ela cerceada, limitando-se a levantar o braço e a marcar presença.

É preciso acreditar que a nossa história se escreve todos os dias e que somos nós que a escrevemos! Não podemos aceitar o futuro como uma história já contada! Mãos à obra, pois “Unidos somos Mais Fortes com a Força Socialista”.

 

Alexandre Seixas, abril de 2018

 

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados

Leave a Comment