Mafra || Prédios degradados da Quinta de Santa Barbara comprados pela câmara para habitação social

Há no concelho dois bairros camarários de habitação social, um em Mafra e outro na Malveira.

“A par desta constatação, e na decorrência do trabalho de terreno levado a cabo pela equipa da Ação Social, foram identificados dois imóveis, sitos na Rua Manuel Fernandes Batista, na Quinta de Santa Bárbara, lotes 66 e 67, em Mafra, que apresentam sinais evidentes de abandono, e que são hoje, um foco de concentração de alguma marginalidade, que urge resolver nesta zona habitacional da vila de Mafra.” [documento da Câmara Municipal de Mafra]

Destes blocos de apartamentos – dois deles ainda por acabar – pensa a Câmara de Mafra vir a poder dispor de 13 apartamentos ou de 18 ou 26 apartamentos, depois de terminada a sua construção e depois de recuperada a parte já edificada.

Como está o concelho sob o ponto de vista social? Quantas famílias se encontram em condições (necessidade) de aceder a este tipo de apoio e em que freguesias se encontram?

Assim, a Câmara Municipal de Mafra vai submeter à Assembleia Municipal, “a autorização da aquisição, ao Montepio Geral, atual proprietário dos dois imóveis […] ambos para alargamento do parque habitacional de gestão municipal, pelo valor de 800.000,00€ […] dado que o proprietário manifestou concordância com a venda nos termos referidos.”

Terminadas as obras, aguarda-se o lançamento dos processos de candidatura, aguarda-se também que seja dado conhecimento público da constituição do júri e dos parâmetros a partir dos quais se procederá à avaliação de cada um dos candidatos e à concessão das habitações.

De notar, que ficam fora deste processo de ampliação da oferta de habitações a rendas controladas, todas as restantes localidades do concelho, pois só a vila de Mafra será beneficiada.

Este negócio entre a Câmara da Mafra e o Montepio irá permitir ao banco libertar-se de “crédito malparado” e ao município, permitirá recuperar um espaço que já há muito tempo devia ter sido devolvido à dignidade urbana. Não foram, no entanto, divulgados dados que suportem a necessidade de dispor, neste momento, destas habitações para uso social. Não se conhecem dados que justifiquem, do ponto de vista social, esta iniciativa da câmara municipal. Como está o concelho sob o ponto de vista social? Quantas famílias se encontram em condições (necessidade) de aceder a este tipo de apoio e em que freguesias?

A solução aqui encontrada pela Câmara de Mafra parece, à primeira vista, adequada, pois visa objectivos de carácter social e soluciona um problema de degradação urbana, há muito a exigir uma intervenção. Estes edifícios degradados tinham já sido alvo de uma reportagem do Jornal de Mafra.

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados

One Thought to “Mafra || Prédios degradados da Quinta de Santa Barbara comprados pela câmara para habitação social”

  1. Lurdes Lourenço

    A ser verdade será uma boa iniciativa! Também há prédios de bancos na Malveira que poderiam ser utilizados da mesma forma. Isso sim seria dar bom uso ao nosso dinheirinho,

Comments are closed.