Alice Vieira – 75 anos comemorados na Casa da Imprensa com apresentação de Livro e com muitos amigos [Imagens]

Alice Vieira, jornalista, escritora, cidadã de corpo inteiro e mulher com uma rara experiência de vida, comemorou ontem o seu 75º aniversário.

Alice Vieira atravessou o século XX a exercer uma profissão que lhe permitiu estar permanentemente no centro do país. Jornalista no Popular, no Diário de Notícias e no Diário de Lisboa, entre outros, durante esses anos e nos que se haviam de seguir, Alice Vieira entrou ainda na casa de muitos portugueses, pela mão dos nossos filhos, através dos muitos títulos que fizeram as delícias, e que ensinaram, muitos dos nossos filhos ou netos.

“Eu tenho quase 75 anos, e conheço tanta gente que já nasceu com 100…” [Alice Vieira]

A sua actividade profissional fez com que as vivências de Alice Vieira se cruzassem com as de muitos portugueses, gente das letras, das artes, da política. No entanto, como ontem se sublinhou na sessão que fez transbordar o salão nobre da Casa da Imprensa, as sonoras gargalhadas que saem da alma de Alice Vieira e que enchem todos os que a conhecem, serão o sintoma claro de alguém que fez sempre da sua vida uma festa, mesmo quando essa vida lhe exigiu que ela fosse também uma mulher lutadora.

O livro, uma iniciativa de Nelson Mateus – Retratos Contados – faz o caminho cruzado por Alice Vieira, através de uma entrevista e de algumas imagens, desde o seu nascimento em 1943, na casa da Almirante Reis, até aos dias de hoje. O livro é depois complementado por uma resenha de testemunhos, em que cerca de 70 personalidades de todas as áreas culturais, politicas e artísticas, nos dizem que é, afinal, a sua Alice Vieira.

“Sendo certo que, apesar dos seus valores e os meus valores não se sobreporem totalmente, nem por isso deixa de ser fundamental continuar a alimentar, em relação à sua obra e à sua pessoa, uma admiração que vem de muito longe” [Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da república]

Sala completamente a abarrotar, também com alguma gente conhecida, vimos José carlos Vasconcelos, Luís Aleluia, Rita Ribeiro, entre outros. O Presidente da República fez-se representar por uma mensagem em vídeo e o Ministro da Cultura, embora a sua agenda referisse que estaria presente nesta homenagem, a verdade é que nem sequer se fez representar. Presentes estiveram ainda a Presidente da Junta de Freguesia das Avenidas Novas e o Presidente e um vereador da Câmara de Mafra.

A apresentação do livro esteve a cargo de Fernanda Freitas, ex-jornalista da RTP2 e responsável por uma empresa de comunicação e conteúdos, Nelson Mateus, autor do livro, e pela própria Alice Vieira.

De entre os 70 testemunhos, para além de Marcelo Rebelo de Sousa, destacamos os nomes de, Ana Almeida, jornalista, Fernando Medina, Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Eládio Clímaco, Elísio Summavielle, ex-vereador da Câmara Municipal de Mafra e actual Presidente do Centro Cultural de Belém, Helena Sacadura Cabral, João Lourenço, encenador, João Paulo Diniz, Luís Osório, Manuela Eanes, Maria Cavaco Silva, Rita Ferro e Vítor Sousa.

Dos muitos depoimentos que o livro revela, deixamos aqui um respigo:

A Alice dá-nos a mão e com ela percorremos o tal ‘país das maravilhas’, o mundo da Fantasia e da Ternura a que a leitura dos seus livros nos convoca [Ana Gaspar, Presidente da Junta de Freguesia das Avenidas Novas]

Uma pérola chamada Alice [Helena Sacadura Cabral, amiga]

Digo obrigado por haver mulheres como TU [João Lourenço, encenador]

Não há palavras para a Alice [Luís Osório, jornalista]

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados