OPINIÃO POLÍTICA | Alexandre Seixas – Com princípios, o caminho das empresas e da economia

Com princípios, o caminho das empresas e da economia

 

Para que a sociedade se desenvolva e evolua, o Partido Socialista entende que as suas políticas e o caminho que giza nas suas orientações deve estar em sintonia com as empresas e por maioria de razão, com a economia. É esse o segundo pilar, num bem elaborado instrumento de trabalho coletivo, que devemos reforçar na ação do dia a dia.

Se são as pessoas que justificam e são a razão de ser da política, são também com certeza, as empresas e a economia, que as enquadram numa vida salutar e equilibrada.

O tecido económico e empresarial é, para além do social, uma força motriz e galvanizadora dos territórios. As políticas que se vierem a implementar neste domínio devem consolidar estratégias de médio e longo para as Empresas e para a Economia, invertendo a tendência recente de políticas focadas no imediato. O desenvolvimento social dos territórios depende em muito, também, da sua força económica.

«O PS defende a independência do poder político face aos poderes económicos. É dever do Estado promover o interesse público e o bem comum, conduzir as estratégias de desenvolvimento nacional, garantir o quadro institucional favorável à criação e distribuição de riqueza, assegurar a provisão de infraestruturas, bens e serviços de interesse geral, corrigir as desigualdades e falhas de mercado, arbitrar conflitos e agir em prol da coesão social e territorial.»

As estratégias económicas obedecem mais vezes às características do território onde se inserem do que a tendências pensadas de forma regional ou global. O Concelho de Mafra tem muitas peculiaridades que importa atender simultaneamente. Uma estratégia focada exclusivamente nos seus recursos naturais, nomeadamente os marítimos e condições para a prática de Surf, e no turismo, apresenta poucas garantias de desenvolvimento sustentável a nível económico e social de futuro.

Importa, portanto, abandonar a visão de estratégias setoriais e estabelecer uma contínua e interligada aposta no crescimento das atividades económicas relacionadas com os recursos naturais, marítimos e terrestres, como são as atividades pesqueira e agrícola, aprofundar o desenvolvimento turístico em todo o Concelho com o aproveitamento das valências dos seus recursos para as atividades desportivas e de lazer e o vasto, diversificado e rico património cultural do Concelho, e um claro fomento da industria transformadora e do comércio de produtos locais e tradicionais.

Hoje em dia, a competitividade dos territórios assenta muito na sua capacidade de apresentar condições de sustentabilidade da sua Economia e das suas Empresas, em ambientes propícios à Inovação assente no Conhecimento.

O Partido Socialista entende que o Concelho de Mafra deve ser capaz de aproveitar o seu enorme potencial ao nível dos recursos naturais e sociais, estabelecendo-se como uma zona territorial de excelência para a modernização da indústria, do comércio e de atividades de Investigação e Desenvolvimento e, assim, reunir as condições para o reforço do seu tecido económico, com criação de mais emprego e de emprego melhor qualificado. O PS acredita que esta aposta permitirá, não só, a atração de mais Investimento, Empresas e Pessoas para o Concelho de Mafra, como também oferecerá condições de permanência aos jovens que todos os anos são colocados na situação de ter de procurar trabalho em concelhos vizinhos, depois de terminarem a sua formação. Para isto, muito contribuirá a instalação de polos industriais e tecnológicos proporcionando condições de formação e qualificação avançada no Concelho de Mafra.

O Partido Socialista acredita no desenvolvimento económico e social assente nas Empresas, no Emprego e na Inovação e no Conhecimento.

Ficam aqui descritas algumas ideias e propostas que afinal divergem das do PSD, já que ao contrário das suas políticas de poder instituído, avezado, labefactado e circular que servem para apoucar e amoucar os munícipes, as do PS pretendem elevar as pessoas, em consonância com as empresas e a economia, na demanda de uma vida melhor. Mas em tempo, lá iremos…

 

(texto parcialmente baseado e adaptado do documento “Uma Visão, Um Compromisso”)

Alexandre Seixas, fevereiro de 2018

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados