Vamos à farmácia | Devo tomar ómega 3 durante a Gravidez?

Vamos à Farmácia | Ana Quintela

 

Devo tomar ómega 3 durante a Gravidez?

Os ómegas 3 são essenciais para o desenvolvimento de qualquer pessoa, no entanto, o nosso organismo não consegue produzi-los naturalmente. Pelo que a única forma de obtê-los é através da alimentação ou da suplementação alimentar.

Durante a gravidez, sabe-se que têm um importante papel no desenvolvimento neurológico e no desenvolvimento da visão do bebé. Mas, todos os ómegas 3 acumulados pelo feto são transferidos pela placenta através da mãe.

É geralmente necessário recorrer à utilização de suplementos alimentares, visto que a nossa dieta raramente contem uma quantidade suficiente de ómega 3 e durante a gravidez, quando ocorre o desenvolvimento do sistema nervoso, o feto ainda esgota mais rapidamente os ómegas que a grávida adquire na sua dieta.

 

A OMS reconhece os benefícios dos ómegas 3.

A própria Organização Mundial de Saúde (OMS) admite que o uso de suplementação com ómega 3 tem efeitos benéficos na prevenção do parto prematuro, no prolongamento do tempo gestacional, na prevenção da pré-eclâmpsia, no aumento do peso do bebé à nascença e no seu desenvolvimento cerebral, bem como na redução do risco da depressão pós-parto.

 

Os ómegas 3 são constituídos por dois importantes ácidos gordos, o EPA e o DHA.

As substâncias relevantes para a saúde nos ómegas 3 são os dois ácidos EPA e DHA. No caso de mulheres grávidas ou a amamentar, o DHA é a substância que devem ingerir, pois é o DHA que tem um papel fundamental no sistema nervoso central e na visão. Comparado com o resto do nosso organismo, é de facto no cérebro e no resto do sistema nervoso que se encontram acumuladas as maiores concentrações de DHA. No entanto, na suplementação para as grávidas o EPA acaba por ter um papel como facilitador da transferência de DHA para o feto, através da placenta.

Sabe-se que durante a gravidez é preciso tanto ómega 3 como aquele necessário em mulheres que não estão grávidas. Porém, no que diz respeito ao DHA é benéfico aumentar ainda mais a sua ingestão nas grávidas.

De acordo com a Sociedade internacional para o estudo dos ácidos gordos e lípidos, durante a gravidez é recomendado que a dose diária de DHA especificamente seja de pelo menos 300 mg.

 

Os ómegas 3 são essenciais para uma gravidez e um bebé saudável.

Os ómegas 3 são essenciais na promoção de um desenvolvimento adequado da visão e no desenvolvimento neurológico do bebé. Sabe-se que mais tarde têm um papel fundamental na capacidade de concentração e no processo cognitivo e de aprendizagem.

Existem diversas pesquisas que evidenciaram que mães com elevados níveis sanguíneos de DHA durante a gravidez têm crianças com capacidade de concentração mais elevada já verificada aos 2 anos de idade. Mas, logo a partir dos 6 meses de idade estes bebés já pontuam melhor em diversos testes que medem a aprendizagem visual.

 

Na mãe, têm a vantagem de proporcionar uma gravidez mais saudável, prevenindo o parto prematuro e reduzindo o risco de pré-eclâmpsia. E chegou-se ainda à conclusão de que a deficiência em ómega 3 está ligada a um aumento da probabilidade da mãe desenvolver depressão pós-parto.

 

Posso ingerir ómega 3 pela dieta ou devo optar por um suplemento alimentar?

Sabe-se que os peixes de água fria são uma óptima fonte de EPA e DHA, no entanto, as grávidas têm limitada a quantidade de peixe que devem ingerir devido à concentração de mercúrio que o peixe pode conter.

É relativamente seguro consumir bacalhau, sardinhas e atum enlatado e salmão em quantidade moderada. Mas, com a moderação no consumo destes peixes devido à preocupação com os níveis de mercúrio, a quantidade de DHA que a grávida ingere acaba por nunca ser suficiente quando adquirido só através da dieta. Por este motivo é necessário recorrer à toma de suplementos de óleo de peixe de qualidade, sem o risco de toxicidade. Porém, como em qualquer outro suplemento, há algumas marcas com melhor qualidade que outras. É importante investigar as normas de qualidade de produção da marca que pretende adquirir.

 

Os ómegas 3 são essenciais não só durante como também logo após a gravidez.

Uma ingestão adequada de ómega 3 é também essencial para manter equilibrados os níveis hormonais de prostaglandinas. Os ómegas 3 também são essenciais depois da gravidez, estando associados a benefícios na produção de leite.

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados