Surf | Liga MEO 2018 arranca em Março “com os olhos postos no futuro”

Foi hoje apresentada, em Lisboa, a principal competição nacional de Surf, a competição que atribui os títulos nacionais, a Liga MEO 2018.

A competição que arranca já em Março na Figueira da Foz e segue depois para Ericeira, Matosinhos, Praia Grande e Guincho tem este ano como foco especial a sustentabilidade ambiental.

“Mas falar de surf é falar de ondas, de mar, de praia, da natureza e do ambiente. Na essência, o mar é o “estádio”, o “campo de provas” de todos os surfistas. Com este foco nos oceanos, na preservação da orla costeira e na promoção de uma melhor consciência ecológica, 2018 será o ano em que a Liga MEO Surf abraçará de forma ainda mais incondicional a sustentabilidade ambiental que é característica intrínseca tanto do surf como dos surfistas em geral.”

 

O calendário da Liga MEO Surf para 2018 é o seguinte:
1ª etapa – 9 a 11 de Março – Allianz Figueira Pro
2ª etapa – 13 a 15 de Abril – Allianz Ericeira Pro
3ª etapa – 4 a 6 de Maio – Renault Porto Pro
4ª etapa – 6 a 8 de Julho – Allianz Sintra Pro
5ª etapa – 4 a 6 de Outubro – Bom Petisco Cascais Pro

 

Presentes na apresentação da liga moche deste ano estiveram os surfistas José Ferreira, Tiago Pires que deixaram as seguintes mensagens:

“O surf em Portugal, neste momento, tem um papel de enorme relevância, não apenas pelo lado desportivo, mas também pelo público que o pratica e pela forma como o pratica. Com isto vem a responsabilidade de sermos uma plataforma privilegiada para dar o exemplo às muitas pessoas que fazem surf e que gostam do surf. Nós, enquanto surfistas, temos a responsabilidade e o dever de sermos os guardiões daquele que é o nosso principal recurso, o mar. Através da Liga MEO Surf temos um palco para pôr em prática algumas das ideias que realmente gostávamos de ver realizadas para a defesa dos oceanos” José Ferreira

“Penso que o futuro do surf em Portugal é algo que está muito bem encaminhado! A nível competitivo, com estas gerações de surfistas que têm surgido – começando no Kikas (Frederico Morais) e no Vasco (Ribeiro) ou na Teresa (Bonvalot), e continuando no Afonso Antunes, por exemplo. Também o está a nível estrutural, com cada vez mais qualidade nos campeonatos que se organizam, a começar pela Liga MEO Surf, que é um exemplo a nível mundial quando se fala de competições nacionais, ou todas as provas internacionais que por cá se realizam. Acho que o terceiro lado deste triângulo é algo que já existe mas que tem de ser mantido – as nossas praias, o nosso mar – somos uns privilegiados, mas temos de saber manter, cuidar e preservar o que de melhor temos, o que sustenta tudo isto” Tiago Pires

 

O valor dos prémios em jogo é de 90.000 €, prémios da competição principal e dos troféus paralelos da Liga.
Os Municípios da Figueira da Foz, Mafra, Sintra e Cascais  continuam este ano a premiar os melhores surfistas locais (com 1.500€ entre masculino e feminino).
 

[Imagem do arquivo JM]

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados