PSP e GNR | Os números do Carnaval de Torres Vedras 2018

A PSP assegurou o policiamento, durante os 4 dias dos festejos de Carnaval em Torres Vedras, com 400 polícias da  Divisão Policial de Loures.

Os resultados deste policiamento foram os seguintes:

  • Cerca de 500.000 (meio milhão) de assistentes no recinto e nos Corsos, distribuídos pelos 4 dias (cerca de 70.000 a 80.000 por dia, no período das 21h00 às 08h30);
    • 3 Detenções efetuadas, de 15 crimes registados (no evento);
    • 22 Detenções no total da Operação
    o 8 Por Condução em Estado de Embriaguez;
    o 4 Por Tráfico de Estupefaciente;
    o 2 Por Mandados de Detenção;
    o 1 Por Condução sem habilitação legal;
    o 1 Por Desobediência; e
    o 6 Por Outros Crimes.
    • Cerca de 100 cidadãos conduzidos ao Hospital de Torres Vedras por diversos motivos, especialmente devido a coma alcoólico e entorses/quedas.

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP realçou “a ausência de alterações de Ordem Pública durante o Policiamento, sendo para tal relevante a colaboração dos cidadãos, assim como de todas as entidades envolvidas na organização do evento na cidade de Torres Vedras”.

 

A GNR por seu lado teve no terreno “200 militares de diversas valências , designadamente: Territorial, Trânsito, Investigação Criminal, Intervenção, Cinotecnia e Policiamento Comunitário” do Comando Territorial de Lisboa.

A GNR registou os seguintes resultados operacionais:

  • 1 890 condutores fiscalizados, resultando na detenção de 19 pessoas por conduzir em estado de embriaguez, duas por falta de habilitação legal para conduzir;
  • Nove detidos por tráfico de estupefacientes;
  • 305 autos de contraordenação rodoviários, dos quais se destacam 52 por condução sob influência de álcool e 53 pela não utilização do cinto de segurança;
  • 103 cidadãos identificados por consumo de estupefacientes, sendo apreendidas 435 doses de haxixe, 37 doses de cannabis, 76 doses de cocaína e 42 doses de MDMA;
  • Identificados dois cidadãos em situação irregular em território nacional, tendo sido notificados para abandonar voluntariamente o país.
Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados