Vamos à farmácia | Fisioterapia aquática – Hidroterapia em piscina

Vamos à Farmácia | Ana Quintela

 

Fisioterapia aquática – Hidroterapia em piscina

A água tem vindo a ser usada como forma de terapia desde o tempo da Grécia antiga, no entanto, é agora que este tratamento começa a ser mais estudado e utilizado como forma de melhorar a saúde. A hidroterapia pode ser feita sob a forma de vapor, líquido ou gelo. Neste artigo vamos focar-nos ao uso da água em piscinas de hidroterapia, ou seja fisioterapia aquática ou Hidrocinesioterapia.

Na hidroterapia em piscina, o objectivo é efectuar tratamentos dentro de água, supervisionados por um fisioterapeuta, de forma a melhorar a saúde e o bem-estar físico.

 

Como funciona esta terapia e o que a torna eficaz?

Como a força da gravidade é consideravelmente menor dentro de água, isso reflecte-se em menos stresse e peso nas articulações (joelhos, ancas, ombros). Desta forma, a flutuabilidade permite que mais exercício seja feito dentro de água, inclusivamente exercícios que algumas pessoas não conseguiriam fazer fora de água. Por exemplo, andar simplesmente, para determinadas pessoas pode ser impossível ou muito difícil e doloroso, pelo que fazê-lo na piscina é a única opção, existindo inclusivamente passadeiras eléctricas adaptadas para utilizar dentro de água.

O facto de a água nestas piscinas ter uma temperatura mais elevada promove a circulação, melhora a flexibilidade e reduz a contracção muscular, ou seja, reduz os espasmos, aliviando assim a dor.

 

Não é necessário saber nadar para fazer hidroterapia. As sessões são sempre orientadas por um profissional especializado e incluem diferentes planos de exercício diferenciado consoante o doente e o seu estado de saúde específico. Em determinados casos recorre-se principalmente ao relaxamento com a flutuação, usando as propriedades relaxantes da água morna. Já outras situações podem permitir cumprir um plano de exercício mais intenso e rigoroso. A hidroterapia é caracterizada por ser uma terapia individualizada.

Na hidroterapia é sempre possível uma progressão no exercício. De forma a aumentar a dificuldade podemos variar a velocidade dos exercícios, turbulência da água e recorrer a dispositivos flutuantes que criem resistência dentro de água.

É comum que a hidroterapia seja o primeiro passo na reabilitação ou que acompanhe outros programas de reabilitação feitos fora de água.

 

Que benefícios específicos tem a hidroterapia em piscina?

A sensação de perda de peso dentro de água alivia a tensão no corpo, permite suportar melhor os músculos com dor e facilita o movimento, ou seja, dentro de água é possível reduzir a tensão muscular e aliviar a dor. Adicionalmente, sabe-se que a água pode ajudar a estimular a produção de endorfinas, o que ajuda também a reduzir a dor.

Como nas piscinas de hidroterapia a água tem uma temperatura mais elevada, o que desencadeia um aumento da circulação que permite melhorar a mobilidade e aliviar a dor quando se trata de reabilitação de lesões musculares. Verifica-se que esta melhoria na circulação está também relacionada com uma melhoria na circulação linfática, que se reflecte num reforço do sistema imunitário.

Em suma, a hidroterapia permite atingir vários objectivos como a redução da dor, a diminuição dos espasmos musculares, o aumento da mobilidade, melhorias na circulação e no sistema imunitário, a reeducação em casos de paralisia muscular, diminuição do stresse nas articulações, melhoria do edema (inchaço). Desta forma, a reabilitação dentro de água permite ao doente uma sensação de bem-estar e maior sucesso, comparado com o trabalho feito fora de água.

 

Exemplo de doenças que podem beneficiar da hidroterapia

A hidroterapia é muito recomendada na artrite, na fibromialgia, depois de AVC’s e tromboses, pois permite um ganho não só na mobilidade como também no equilíbrio.

A reabilitação dentro de água é segura e recomendada em inúmeras lesões músculo-esqueléticas e também em período pós-cirúrgico, por exemplo em cirurgias articulares, como substituições da anca ou do joelho. Podem beneficiar da hidroterapia diversos tipos de distúrbios articulares e musculares, como por exemplo lombalgias, entorses e outras lesões desportivas.

A hidroterapia não só tem inúmeras vantagens na geriatria (idosos), como também em casos de crianças com necessidades especiais. Nos casos destas crianças, a água permite uma diferente estimulação motora, o desenvolvimento de competências sociais e o aumento da mobilidade e da flexibilidade.

 

 

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados