08 Ago 2017 | Vamos à Farmácia | Ana Quintela –

Desparasitar os nossos animais

 

Não se esqueça da importância de desparasitar os seus animais domésticos. Os parasitas dos seus animais rapidamente podem propagar-se pela casa e afectar a saúde da sua família.

Desparasitar os animais com regularidade é essencial, particularmente nos meses de Verão em que há uma maior propagação de pulgas e carraças.

 

Com que frequência devo desparasitar o meu cão ou gato?

No caso dos parasitas internos, para animais em idade adulta é essencial desparasitar a cada 3 meses.

Para cães recém-nascidos a desparasitação deve ser feita a toda a ninhada e à progenitora nos primeiros dias de vida. Até aos 3 meses, devem ser desparasitados a cada 15 dias e depois uma vez por mês até aos 6 meses.

Relativamente aos parasitas externos, é recomendado desparasitar contra pulgas todo o ano, a cada 4 semanas. Contra as carraças, mosquitos e flebótomos (podem transmitir Leishmaniose) no nosso país é importante desparasitar a cada 4 semanas pelo menos entre Março e Setembro.

 

A que tipos de desparasitantes posso recorrer?

Existem as pipetas que duram cerca de 4 semanas e oferecem diferentes tipos de protecção consoante a marca.

Por exemplo, o Advantix elimina e previne a infestação de pulgas, piolhos e carraças. O Frontline Tri-Act tem um maior espectro de acção, pois elimina e protege contra pulgas, carraças, mosquitos e flebótomos. E o Advocate não só elimina pulgas, piolhos e ácaros da sarna, como também tem acção em determinados parasitas intestinais.

 

Para os cães há ainda coleiras como a Seresto que confere protecção durante 8 meses, mas apenas contra pulgas e carraças. E a coleira de mais largo espectro é a Scalibor que protege contra carraças, mosquitos e flebótomos (causadores da Leishmaniose) e dura cerca de 6 meses.

Quanto a champôs e sprays, normalmente têm um bom efeito na eliminação imediata de infestações graves por parasitas externos, embora mais tarde não previnam o aparecimento de novas infestações.

Existem ainda comprimidos para tratar e eliminar rapidamente quer parasitas externos como pulgas e carraças, quer parasitas internos.

Relativamente à desparasitação interna, esta é sempre feita por via oral, seja pelo uso de comprimidos, seja pela toma de pastas orais.

 

 

Que cuidados devo ter na aplicação das pipetas?

As pipetas desparasitantes são muito utilizadas, no entanto há algumas precauções a tomar quando as aplicamos nos nossos animais.

É importante perceber que se o animal estiver infestado com pulgas ou carraças é recomendado que as remova antes de aplicar o tratamento com a pipeta.

Todas as pipetas devem ser aplicadas consoante o peso do animal, sendo que uma pipeta direcionada para um intervalo de quilogramas superior ao do seu cão ou gato poderá ser tóxica, e uma pipeta muito fraca produz pouco efeito.

É de notar que as pipetas de cães nunca podem ser aplicadas em gatos, visto serem altamente tóxicas, podendo inclusivamente levar à morte do gato. Se na sua casa tem cães e gatos a conviver, deve colocar a pipeta nos cães à noite e separá-los durante a noite.

 

Dou banho antes de aplicar a pipeta?

Cerca de 3 dias antes e depois da aplicação da pipeta, o seu animal não deve contactar com água, seja de banhos ou água da chuva. Mais tarde, o tratamento mantem-se eficaz se o animal for molhado, embora possa diminuir de eficácia em animais constantemente expostos à água.

 

O que fazer quando o seu animal tem infestações recorrentes?

Se cumpre os tratamentos com regularidade e com todos os cuidados correctos de aplicação e mesmo assim as pulgas aparecem, é natural que exista resistência ao medicamento. Nesse caso deve mudar a marca de desparasitante de forma a aumentar a eficácia do tratamento.

 

Se tem um animal infestado, o mais certo é que a sua casa também o esteja.

Nestes casos é recomendado que lave e aspire o seu carro e toda a casa (tapetes, alcatifas e sofás). Deve aplicar produtos desparasitantes para a casa e lavar toda a roupa que tenha contactado com o animal.

 

É necessário desparasitar um animal que não sai de casa?

Os animais que não saem à rua estão de facto menos expostos a parasitas. No entanto, qualquer um de nós quando sai de casa pode sempre trazer pulgas ou até mesmo ovos que mais tarde podem originar parasitas internos.

 

 

Em suma, é sempre essencial manter a desparasitação como um hábito regular de higiene e cuidado aos seus animais domésticos.

 

PubPUB

Achou este artigo interessante, partilhe-o com os seus amigos!

VISITE TAMBÉM A PRIMEIRA PÁGINA DO JORNAL DE MAFRA

Partilhe com os seus amigos!