27 Jun 2017 | Vamos à Farmácia | Ana Quintela

Consultas do viajante

 

Se nestas férias está a pensar em viajar para fora da Europa deve fazer uma consulta de saúde do viajante. Quando viaja para determinados países fora da Europa está sujeito a ambientes completamente diferentes, seja a nível climático, de alimentação ou de contacto com diversos agentes transmissores de doenças. Por isso, é importante informar-se e prevenir determinados comportamentos de risco.

Estas consultas são efectuadas por médicos especialistas em medicina tropical e em doenças infeciosas com a capacidade de aconselhá-lo e de avaliar a sua condição de saúde antes de viajar. São consultas muito importantes pois permitem que seja aconselhado acerca de medidas preventivas a adoptar antes, durante e depois da viagem. Nestas consultas não só terá acesso a vacinação e medicação preventiva da malária, como ainda terá todo o tipo de informação relativamente a assistência médica no país de destino, aconselhamento relativamente à medicação que deve levar e aos cuidados a ter com a água e os alimentos ingeridos.

 

Nestas consultas prescrevem medicamentos?

Sim. Serão prescritas todas as vacinas necessárias à sua viagem, bem como os seus respectivos certificados internacionais. Quando necessário terá também acesso à prescrição de medicamentos usados na prevenção da malária. E para além de toda a informação que lhe será fornecida relativamente a água e alimentos contaminados, ser-lhe-á prescrita medicação que deve apenas tomar no caso em casos de diarreia do viajante.

Ainda poderá ser prescrita outro tipo de medicação em determinados grupos que requerem acompanhamento diferenciado tais como crianças, grávidas, idosos ou doentes crónicos.

 

Que documentos devo levar para a consulta?

É importante ter consigo toda a sua informação médica relevante, o seu cartão do cidadão ou bilhete de identidade e cartão de utente, a lista da sua medicação habitual, o seu boletim de vacinas e se tiver também o seu certificado internacional de vacinações.

 

Onde posso realizar uma consulta do viajante?

Embora existam também hospitais e clínicas privadas com estas consultas, o nosso Serviço Nacional de Saúde já providencia diversos locais com as mesmas.

Deve dirigir-se ao Centro de Saúde do Bombarral (Agrupamento de Centros de Saúde Oeste), no caso de residir nos seguintes Concelhos: Cadaval, Lourinhã, Sobral de Monte Agraço, Mafra e Torres Vedras.

Em Lisboa, existem também diversos locais, como por exemplo, o Instituto de Higiene e Medicina Tropical (local de referência a nível nacional), o Centro de Saúde de Sete Rios, o Hospital Santa Maria, o Hospital Curry Cabral e o Hospital Dona Estefânia.

Para mais informação relativamente a outros locais do país onde possa realizar estas consultas, solicite informação no seu Centro de Saúde ou consulte o site da DGS (Direcção Geral de Saúde).

 

Com que antecedência devo ir a uma consulta do viajante?

Pode até realizar esta consulta de véspera, no entanto, é importante marcar e realizá-la entre 4 a 8 semanas antes de viajar. Desta forma, terá tempo de conhecer e avaliar os riscos, tomar medidas de saúde preventivas antes da viagem e efectuar a vacinação recomendada ou tomar a medicação necessária para prevenir a transmissão de determinas doenças.

 

A vacinação é obrigatória?

É importante fazer as vacinas recomendadas especificamente indicadas para o seu local de destino. Normalmente são vacinas contra a hepatite A e hepatite B, meningite, cólera, difteria, encefalite japonesa, gripe, raiva, tétano e febre tifoide. Se decidir não efectuar a vacinação, deve informar-se correctamente sobre todos os riscos e também relativamente à possibilidade de alguns países negarem a sua entrada sem registos dessas vacinas.

Excepcionalmente, de acordo com o Regulamento Sanitário Internacional, quando recomendada, a única vacina que pode ser obrigatoriamente exigida é a vacina contra a febre-amarela.

 

Estas vacinas têm muitos efeitos secundários?

São raros os casos em que uma vacina provoca efeitos secundários graves. No entanto, é recomendado que se mantenha no local onde lhe foi efectuada a vacinação durante cerca de meia horas após a sua administração. Desta forma garante que é rapidamente socorrido por profissionais treinados para o ajudar.

De qualquer modo, muitas vacinas podem provocar efeitos secundários ligeiros como febre, dor de cabeça e alguma dor e vermelhidão no local da administração.

 

 

Também devo procurar assistência médica após o regresso da viagem? (Consultas Pós-Viagem)

Se tiver algum problema de saúde durante ou após a viagem, deve voltar a realizar uma consulta médica.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda efectuar uma consulta pós-viagem no caso de ter sido exposto a uma doença infeciosa durante a mesma, se após o regresso tem sintomas como febre, diarreia persistente, vómitos, doenças de pele ou transtornos a nível urinário ou genital.

São também recomendadas consultas de seguimento pós-viagem para quem esteve mais de 3 meses num país em desenvolvimento ou no caso de doentes crónicos (ex: diabetes, doenças respiratórias).

 

Se nestas férias vai para fora da Europa, informe-se, proteja-se e aconselhe-se numa consulta do viajante.

 

PubPUB

Achou este artigo interessante, partilhe-o com os seus amigos!

VISITE TAMBÉM A PRIMEIRA PÁGINA DO JORNAL DE MAFRA

Partilhe com os seus amigos!