Crónica de Alice Vieira | Saudades de Camélias

Saudades de Camélias Alice Vieira   “Então o que vai ser hoje, menina?” É por estas e por outras iguais a esta que fujo dos hipermercados e tento o mais possível abastecer-me nos mercados da terra (ou da freguesia…)  : só mesmo aqui, neste mercado perto da minha rua, é que eu ainda sou menina. Sorrio,  enquanto a rapariga vai gabando as virtudes da mercadoria, “por acaso as rosas até nem estão muito caras, e se a menina lhes deitar o pó desta saqueta duram muito mais. E temos umas…

Ler mais

Crónica de Alice Vieira | A Blusa Verde

25 Ago 2017 | Crónica | Alice Vieira A Blusa Verde Alice Vieira   Não sou mulher de superstições. Nunca fui. Sempre convivi muito bem numa mesa de 13 pessoas, não me afligem gatos pretos atravessando-se no meu caminho nem cabides largados em cima da cama, não me preocupo se abrirem chapéus-de-chuva dentro de casa, não acredito que uma carteira pousada no chão possa afastar o dinheiro dos meus bolsos e, se não passo por debaixo de andaimes, é apenas porque me parece perigoso, desde o dia em que uma placa…

Ler mais