23 DEZ 2016 | | JM

 Última reunião de câmara de 2017

 

Esta última reunião de câmara de 2017 estava inicialmente destinada a decorrer sobre o signo do Natal. Os temas que vieram a decisão relacionavam-se com aprovações de horários de funcionamento de estabelecimentos no fim de ano (assunto que trataremos noutro artigo), aprovação de taxas para 2017 (com a abstenção da CDU), dos fundos de caixa e de maneio, também para 2017 e com dois pedidos de legalização (rejeitados) para explorações de suinicultura .

A polémica estalou, no entanto, a propósito do tarifário de água, saneamento e resíduos. A proposta da maioria passava pela manutenção em 2017, dos valores de 2016, tendo em consideração a proposta de reversão da concessão à Bewater, aprovada na última reunião camarária.

O Partido Socialista, pela voz de Sérgio Santos, revelou que iria votar contra, tendo em consideração que as taxas em vigor no concelho são das mais altas do país, e que, mantendo-se os mesmos valores em 2017, os munícipes não iriam sentir nos seus bolsos qualquer benefício real, defendendo assim, o PS, que o valor destas taxas devia diminuir já em 2017.

Surpresa mesmo, foi ver a CDU, pela voz do seu vereador, Eduardo Baptista, alinhar com as posições da maioria, relativamente à manutenção das taxas. Sérgio Santos (PS) manifestou a sua surpresa a este respeito e isso fez estalar a polémica (algo azeda) entre as duas forças politicas da oposição. No final, o PS votou contra a manutenção das taxas e o PSD e a CDU votaram a favor. Um ponto a favor de Hélder Silva, que vê assim reforçada a sua posição a este propósito.

Pub

Achou este artigo interessante, partilhe-o com os seus amigos!

VISITE TAMBÉM A PRIMEIRA PÁGINA DO JORNAL DE MAFRA

Partilhe com os seus amigos!