5 MAI 2017|DESTAQUES | JM


Em comunicado datado de ontem, 4 da Abril, a Quercus (Associação nacional de conservação da natureza) denuncia o arranque ilegal de sobreiros na Tapada Nacional de Mafra.


A Quercus foi alertada para o arranque de sobreiros na Tapada Nacional de Mafra, sem que tivesse sido autorizado pelos serviços do ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, situação grave dado a área ser uma mata nacional, mas que é gerida por uma régie cooperativa.



Esta semana, ocorreu um arranque de 5 sobreiros adultos sem a prévia e obrigatória autorização do ICNF, a situação é preocupante, dado que a intervenção não foi planeada e um dos sobreiros estava junto de um ninho de Açor, espécie de ave de presa rara e protegida, que se afastou do ninho, tendo aparentemente enjeitado as jovens crias devido à perturbação com maquinaria pesada.


A Quercus alertou o SEPNA da GNR e o ICNF para tomarem conta da ocorrência e levantamento do respetivo auto de notícia.


O arranque das árvores foi efectuado em cumprimento de ordens da Direção da Cooperativa responsável pela gestão da Tapada Nacional de Mafra, a qual deverá ser responsabilizada por esta ação.

Soubemos entretanto que a GNR já terá estado anteontem na Tapada, onde terá identificado a senhora Directora, uma vez que o abate não autorizado de sobreiros é contrário à lei. O abate de sobreiros só poderia ser feito com a autorização do ICNF ( Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas), o qual, tornando este processo muito original, faz ele próprio parte da Direcção da Tapada.

O Jornal de Mafra contactou o Ministério da Agricultura mas até ao momento não obtivemos qualquer reacção.

Pub

Achou este artigo interessante, partilhe-o com os seus amigos!

VISITE TAMBÉM A PRIMEIRA PÁGINA DO JORNAL DE MAFRA

Partilhe com os seus amigos!