04 MAI 2017 | Psicologia para Pais  |  Marta Marchante

Dia da mãe – vinculação mãe bebé 

 

A vinculação precoce (0-3 anos) é um comportamento inato no ser humano e consiste numa relação privilegiada com o adulto que lhe proporciona cuidados básicos, e desse modo, assegura a sua sobrevivência. O adulto será capaz de proporcionar uma base de segurança quando o bebé revela algum tipo de desconforto nomeadamente mal-estar ou medo.

Existem diversos tipos de vinculação, amplamente estudados pela psicologia: segura, evitante, ambivalente ou desorganizada.

Uma vinculação segura caracteriza-se pelos seguintes comportamentos do bebé:

  • Reage positivamente à sua aproximação;
  • Procura a proximidade e mantém o contacto com o cuidador;
  • Envolve-se em interações à distância;
  • Acalma-se na sua presença;
  • Sossega facilmente após encontro com o cuidador;
  • Usa-o como uma base segura para a exploração;
  • Prefere a sua companhia à de um estranho.

 

E pelos seguintes comportamentos do cuidador/adulto:

  • Responde às necessidades da criança de modo caloroso, sensível e fiável;
  • Reage de forma contingente às manifestações da criança;
  • Está disponível física e emocionalmente;
  • Tem prazer na interação com o bebé.

 

Então como promover uma vinculação segura?

O mais importante para uma boa vinculação será sobretudo a sua disponibilidade, proximidade e afetividade para com o seu bebé, ainda enquanto está na sua barriga, sobretudo a partir do segundo trimestre.
Esteja atenta ao seu bebé, através dos movimentos fetais, mostrando-lhe o seu afeto por meio de conversas e carícias à sua barriga.
Para promover esta ligação recomenda-se:

  • Falar, sussurrar e até mesmo cantar para o bebé para ele se acostumar à sua voz e para promover um estado de relaxamento e tranquilidade no feto.
  • Tocar a barriga para sentir o movimento fetal e dar massagens e carícias suaves para interagir com o bebé.
  • Ouvir o seu coração através das ecografias na consulta para sentir-se mais próxima do bebé.

 

No entanto, é também normal e frequente que os sentimentos de vinculação profunda comecem sobretudo após o nascimento. Existem algumas estratégias que podem favorecer este processo desde o primeiro momento da chegada do bebé a casa:

  • Estar à sua disposição. Prestar atenção às necessidades e solicitações do seu bebé, não só nos seus cuidados como no tempo de brincadeira e lazer.
  • Estar próximo. Quando um bebé percebe a presença das pessoas que o cuidam sente segurança e proteção, por isso devem evitar-se as separações longas, sobretudo nos primeiros meses de vida.
  • Falar-lhe. O bebé reconhece as vozes familiares e é capaz de perceber os sentimentos e emoções que transmitem as palavras. É importante falar-lhe, cantar-lhe e fazer-lhe perguntas e sugestões.

 


PSICOLOGIA PARA PAIS

Uma coluna do Jornal de Mafra dedicada ao esclarecimento de dúvidas de pais e educadores sobre a infância/adolescência, tendo por objectivo, aproximar a psicologia da população em geral e aumentar as ferramentas dos educadores para lidar com os seus educandos.

 


Quaisquer questões suscitadas, poderão ser colocadas nos comentários do artigo ou directamente à autora pelo endereço electrónico marta.isabelmarchante@gmail.com

Marta Marchante é mestre em psicóloga pela Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa e tem trabalho desenvolvido no concelho, com crianças e adolescentes. Exerce funções no âmbito da psicologia educacional, na Ericeira, Venda do Pinheiro e Torres Vedras

PubPUB

Achou este artigo interessante, partilhe-o com os seus amigos!

VISITE TAMBÉM A PRIMEIRA PÁGINA DO JORNAL DE MAFRA

Partilhe com os seus amigos!