26 MAR 2017 | Cultura & lazer | JM

Foi inaugurada esta tarde, na Galilé do Palácio Nacional de Mafra, a exposição “Memorial do Convento – Era uma vez um rei devoto, um padre que queria voar, e uma mulher com poderes”.

No ano em que o Real Edifício comemora o tricentenário da colocação da 1ª pedra e em que se comemoram os 35 anos da publicação do “Memorial do Convento”, a Fundação José Saramago, o Palácio Nacional de Mafra e o Município de Mafra decidiram assinalar estas datas com uma exposição alusiva.

Esta exposição gira em torno dos temas, Mafra, Saramago, Memorial e D. João V. Com curadoria de Filomena Oliveira e Miguel Real (que esta tarde nos guiaram pela exposição) , conta com algum do espólio de José Saramago relacionado com a escrita do “Memorial do Convento” , contando também com quadros de José Santa-Bárbara.

“(…) Memorial do Convento é atravessado por uma onda de lirismo, de otimismo científico e estético que dificilmente encontra paralelo no romance português contemporâneo, para a qual a entrega à Arte (Scarlatti), à Ciência (Bartolomeu de Gusmão) e ao Maravilhoso (Blimunda) se evidenciam como alternativas credíveis na opção pelo sentido de vida.
(…)legando uma mensagem implícita, que repercute inconscientemente na mente do leitor: a necessidade de cada um construir a sua “passarola”, de possuir o seu “sonho” e de se ser diferente dos restantes para o cumprir.
(…)enfatiza a necessidade de transgressão social para que a História progrida, enaltecendo a capacidade de ação comandada pelo sonho, pelo visionarismo, pela vontade de criação de um futuro diferente, no qual todos os homens sejam reis, e rainhas todas as mulheres. (…)”
Miguel Real

A exposição estará patente até 31 de Maio e a entrada é livre.

Pub

Achou este artigo interessante, partilhe-o com os seus amigos!

VISITE TAMBÉM A PRIMEIRA PÁGINA DO JORNAL DE MAFRA

Partilhe com os seus amigos!